18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Brasileiro deve apostar de 4 a 6 vezes por semana durante a Copa do Mundo

Brasileiro deve apostar de 4 a 6 vezes por semana durante a Copa do Mundo
O brasileiro deve apostar mais durante a Copa do Mundo. Foto: IMAGO / ZUMA Wire

As apostas esportivas já fazem parte da realidade dos brasileiros. E, durante a Copa do Mundo do Catar, a expectativa do mercado é que o apostador brasileiro dedique ainda mais tempo às apostas, fazendo de 4 a 6 apostas por semana. 

A expectativa é que o perfil médio do apostador brasileiro mude. Atualmente, 48% dos apostadores brasileiros são classificados como apostadores médios, com de 1 a 3 apostas por semana. 

Durante o Mundial, com o grande interesse que o evento desperta e a longa sequência de partidas realizadas (64) em um curto espaço de tempo (28 dias), espera-se que o percentual de apostadores fortes (com de 4 a 6 apostas por semana) e muito fortes (com 7 apostas por semana ou mais) aumente. Atualmente, eles representam, respectivamente, 16% e 18% dos apostadores brasileiros, segundo o relatório do site “BtoBet”, “Brazil Betting Focus”.

PercentualNúmero de ApostasPerfil do apostador
18%7 vezes por semanaMuito forte
16%4 a 6 vezes por semanaForte
48%1 a 3 vezes por semanaMédio
18%2 a 3 vezes por mêsLeve

A expectativa do setor é que mais pessoas descubram o universo de apostas legais no Brasil durante o evento.

“O mercado de apostas esportivas ainda é muito jovem no Brasil. Aos poucos, os apostadores brasileiros estão entendendo que apostar pode ser uma grande diversão, especialmente se feita com responsabilidade e em sites de apostas confiáveis. Durante a Copa do Mundo nossa expectativa é que ainda mais gente se interesse pelas apostas”, destaca Diana Figueiredo, editora do Apostagolos.com. 

Apostar é legal no Brasil? 

Em dezembro de 2018, a Lei 13.756 abriu caminho para o funcionamento dos sites de apostas esportivas no Brasil. O texto ainda aguarda uma regulamentação para entrar completamente em vigor. Hoje, os sites de apostas em atuação no Brasil possuem licenças emitidas no exterior.  

A legalização das apostas não chegou a tempo da Copa do Mundo da Rússia, mas quatro anos depois, é uma realidade às vésperas do Mundial do Catar. Será a primeira edição do maior evento esportivo do planeta desde o crescimento do mercado de apostas no país.

A expectativa das empresas é de aumento dos ganhos. Relatório do site “BtoBet” sobre o potencial da indústria brasileira afirma que o país é um “gigante adormecido” do mercado de apostas global. O ano de 2022 pode ser um divisor de águas nessa trajetória de crescimento. Primeiro, por conta da expectativa do marco regulatório da atividade, à espera da assinatura do presidente Jair Bolsonaro; segundo, pela realização da Copa no Oriente Médio.

“Não há dúvidas que o Brasil tem grande potencial para o mercado de apostas. Com uma regulamentação apropriada, vai servir como fonte de arrecadação para o governo federal, e ainda vai proporcionar a criação de novos empregos, como já acontece nos Estados Unidos e em Portugal, e em termos de América Latina, no Uruguai”.

Regulamentação ainda pendente

A tendência é que o Palácio do Planalto aguarde o desfecho das eleições presidenciais para assinar a regulamentação. Especialistas acreditam que ela pode ficar para 2023.

O potencial brasileiro foi identificado pelo mercado internacional, de acordo com o relatório, a partir de alguns números: a grande população do país (são mais de 213 milhões de habitantes, colocando o Brasil entre os sete países mais populosos do mundo), o acesso abrangente à conexão de internet via smartphones (o número de conexões de internet equivale a 96% do total de habitantes do país) e o grande interesse do brasileiro por esportes eletrônicos, área considerada prima das apostas esportivas online (são mais de 30 milhões de jogadores online, deixando o Brasil atrás apenas de Estados Unidos e China).

“Isso mostra o apetite dos brasileiros por entretenimento com apostas e reforça a previsão de uma dramática expansão no mercado assim que as apostas forem regulamentadas. (…) Com a regulamentação, o país pode se tornar um dos principais mercados do mundo, graças ao tamanho de sua população e o interesse que ela tem por esportes”, afirma o relatório.

A Copa do Mundo do Catar deve potencializar esse aumento no número de apostas e dinheiro movimentado, enquanto ela estiver ocorrendo, entre 20 de novembro e 18 de dezembro. O futebol concentra 81% das apostas principais dos apostadores brasileiros. Além disso, a competição, mesmo sem ter tido nenhuma edição desde a Lei 13.756, é a quinta favorita do apostador brasileiro, recebendo apostas de 59% deles. Ela está atrás apenas do Campeonato Brasileiro, da Libertadores, da Copa do Brasil e da Champions League, nesta ordem.

Miguel Ladeira
291 artigos
Jornalista brasileiro com mais de 5 anos de experiência na área de apostas online.