18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Wimbledon 2022: Quem tem mais chances de chegar até a final?

Djokovic
Djokovic é um dos favoritos. Foto: IMAGO

Enquanto o terceiro Grand Slam da temporada começa hoje em Londres, damos uma olhada nos três jogadores e depois nas três jogadoras para ver quem pensamos que poderia ir até o fim ou fazer uma surpresa em Wimbledon 2022.


🎾 Novak Djokovic (#1) 

O novo número 1 do mundo está aproveitando a ausência dos dois melhores jogadores do ranking ATP, Daniil Medvedev e Alexander Zverev, para se tornar o Nº 1 favorito em Londres nesta quinzena. O sérvio, que não jogou uma única partida na grama nesta temporada, terá que se orientar rapidamente para manter seu título. Djokovic ganhou as três últimas edições: em 2018 contra Kevin Anderson, em 2019 contra Roger Federer e em 2021 contra Matteo Berrettini.

Depois de perder o Australian Open em janeiro, Novak Djokovic não pôde defender seu título em Melbourne. Em Roland Garros, ele perdeu para Rafael Nadal nas quartas de final após uma grande batalha. Ainda em busca de um 21º Grand Slam que o tem iludido desde o verão passado e sua vitória na grama de Wimbledon, “Nole”, que por pouco não participou do Grand Slam na temporada passada, sem dúvida estará fora para se vingar, especialmente porque ele pode não participar do Aberto dos EUA devido a sua não-vacinação contra a COVID-19.

🎾Matteo Berrettini (No.8)

O italiano, que estará entre os 10 primeiros ao final do torneio, deve defender a final a que chegou no ano passado. Depois de uma operação à sua direita em março que o manteve fora de toda a excursão da quadra de barro (Monte Carlo, Madri, Roma e Open da França), Matteo Berrettini voltou com força, vencendo todos os 9 jogos na grama desde seu retorno. Em Stuttgart, ele venceu o torneio pela segunda vez em sua carreira depois de 2019 ao derrotar Andy Murray na final (6/4, 5/7, 6/3). Em Queens, ele conseguiu manter seu título ao vencer Filip Krajinovic (7/5, 6/4).

Com uma boa corrida na superfície e tendo chegado à final no ano passado, Berrettini é considerado o jogador com melhor chance de perturbar o sérvio, que é o favorito para o torneio. Em Wimbledon, o nativo de Roma tem um sorteio relativamente acessível até a segunda semana. A única incerteza é se ele pode travar longas batalhas no formato Grand Slam após uma ausência de vários meses, tendo já vencido dois torneios, mas tendo gasto uma grande quantidade de energia, notadamente em Stuttgart onde ganhou apenas uma das quatro partidas em dois sets.

🎾 Nick Kyrgios 

E se ele for a grande surpresa deste Open Britânico de 2022? Aproveitando a superfície, na qual ele já mostrou bastante desde o início da turnê européia pela quadra de grama, Kyrgios certamente será um jogador a ser evitado neste torneio. Seu jogo em quadra de grama poderia causar estragos e seu sorteio parece aberto até o terceiro round, onde ele poderia enfrentar o número 4 Stefanos Tsitsipas, um jogador que o australiano derrotou em Halle alguns dias atrás nos rounds de 16 (5/7, 6/2, 6/4).

Nick Kyrgios, que alcançou o melhor desempenho de sua carreira no Grand Slam em Wimbledon em 2014 (derrotado na época por Milos Raonic), vai querer brilhar novamente em Londres e se ele tiver os meios para fazê-lo, ele pode ser a boa surpresa deste torneio. Com notáveis vitórias desde o início de junho contra jogadores como Basilashvili, Tsitsipas, Carreño-Busta ou Djere, ele está avançando com muita confiança e nenhum jogador ficará feliz em enfrentá-lo durante esta quinzena.

Principais ausências masculinas de Wimbledon

Devido à situação na Ucrânia, os jogadores russos e bielorrussos foram excluídos do torneio. Não veremos Daniil Medvedev, Andrey Rublev, Karen Khachanov, Aslan Karatsev e Ilya Ivashka, todos eles entre os 100 melhores. Alexander Zverev ainda está se recuperando de uma lesão no tornozelo sofrida nas semifinais do Open da França contra Nadal. Sebastian Korda, que sofreu uma lesão na canela, decidiu descansar e se concentrar na turnê da dura corte americana em julho e agosto. Gaël Monfils também não estará em Londres, nem Lloyd Harris.

🎾 Iga Swiatek (No.1) 

O polonesa, que não perde desde meados de fevereiro em Dubai para Jelena Ostapenko, é obviamente a grande favorita neste torneio, especialmente desde que a defensora campeã Ashleigh Barty se aposentou. Há provavelmente mais perguntas sobre seu jogo na quadra de grama, e ela pode não ser tão dominante quanto era em Paris, mas a número um mundial ainda será a mulher a ser batida (e espancada!) em Wimbledon este ano.

Com 35 vitórias consecutivas e 6 títulos conquistados este ano (Doha, Indian Wells, Miami, Roma, Stuttgart, French Open), a Swiatek é a primeira colocada para o título e estará procurando ganhar o terceiro Grand Slam de sua carreira em solo londrino após a abertura francesa de 2020 e 2022. O Polo tem um sorteio muito aberto e o verdadeiro grande primeiro obstáculo que poderia atrapalhar seu caminho é Barbora Krejcikova nas oitavas-de-final.

🎾 Petra Kvitova (No. 25)

Seria apenas uma meia-surpresa, mas a tcheca poderia se levantar das cinzas em um torneio que ela ganhou duas vezes, em 2011 contra Sharapova e em 2014 contra Bouchard. Kvitova, que teve um ano lento até agora com 15 vitórias em 28 partidas, parece estar encontrando sua forma no melhor dos tempos. Na semana passada, ela ganhou o torneio de Eastbourne, perdendo apenas um set na semana e vencendo Jelena Ostapenko na final (6/3, 6/2).

Nº 2 do mundo em seu ranking mais alto, Kvitova se tranquilizou ao conquistar o 29º título de sua carreira em Eastbourne e seu primeiro torneio desde março de 2021 em Doha, após uma vitória sobre Garbiñe Muguruza (6/2, 6/1). A canhota, que gosta particularmente de brincar na grama, pode ir longe, mesmo que não tenha um empate fácil. Uma boa corrida seria uma espécie de ressurreição para ela, pois desde seu segundo título em Wimbledon, em 2014, Petra Kvitova não conseguiu chegar às quartas de final em Londres desde então.

🎾 Jessica Pegula (No. 8)

A americana está tendo atualmente uma temporada muito boa em 2022. Com já 22 vitórias e uma final no Madrid Masters 1000 perdida para Ons Jabeur, a americana também está se saindo bem nos torneios do Grand Slam. No Aberto da Austrália, ela chegou às quartas de final, perdendo apenas para a vencedora Ashleigh Barty, antes de sofrer o mesmo destino em Roland Garros. Na mesma etapa da competição, ela perdeu para Iga Swiatek, que levantou o troféu alguns dias depois.

Entretanto, Pegula não joga nenhum torneio de preparação na grama desde o início da temporada e chegará a Wimbledon sem o ritmo da superfície em suas pernas. Ela precisará voltar rapidamente ao seu torneio para evitar que a porta seja eliminada prematuramente. No entanto, Jessica Pegula parece ter construído uma enorme confiança ao longo das últimas semanas, por isso sentimos que ela pode jogar despojamento neste torneio.

As principais ausências femininas de Wimbledon 2022

Como a ATP, as jogadores russos e bielorrussos não podem participar deste Wimbledon 2022. Aryna Sabalenka, Daria Kasatkina, Victoria Azarenka, Veronika Kudermetova, Ekaterina Alexandrova, Aliasksandra Sasnovich e Varvara Gracheva estarão ausentes do torneio. Leylah Fernandez, que sofreu uma lesão no pé durante o French Open, não estará presente, assim como Naomi Osaka, Marketa Vondrousova e Elina Svitolina, que deverá se tornar mãe nas próximas semanas.

Diana Figueiredo
147 artigos
Diana Figueiredo é jornalista há mais de 15 anos, carioca e, atualmente, mora em Paris, na França Trabalhou no Jornal Extra e no Jornal O Globo de ...

Artigos mais recentes