18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Técnico da seleção feminina da Espanha é demitido após conquista da Copa do Mundo

Jorge Vilda foi demitido da Espanha mesmo após o título mundial
Jorge Vilda foi demitido da Espanha mesmo após o título mundial. Foto: IMAGO / PA Images

Jorge Vilda não é mais técnico da seleção feminina da Espanha. Mesmo com o inédito título da Copa do Mundo, a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) decidiu demitir o treinador em meio a um momento turbulento da entidade. Vilda também era o diretor de futebol feminino da federação e não exerce mais o cargo.

Saiba como apostar em jogos de futebol

Apesar de a decisão ter sido tomada duas semanas depois do título inédito do Mundial, a federação espanhola fez o anúncio da demissão somente nesta terça-feira (5).

– A Real Federação Espanhola de Futebol, em uma das primeiras medidas de renovação anunciadas pelo presidente Pedro Rocha, decidiu dispensar os serviços de Jorge Vilda como técnico da seleção nacional feminina, cargo que aceitou em 2015. A RFEF agradece o seu trabalho à frente da seleção nacional e nas suas funções como responsável esportivo máximo das selecões femininas, bem como os sucessos alcançados durante sua passagem coroada com a recente conquista da Copa do Mundo. Valorizamos sua impecável conduta pessoal e desportiva, sendo peça-chave no notável crescimento do futebol feminino na Espanha. Durante sua longa carreira, Vilda tem sido um promotor dos valores do respeito e do espírito esportivo no futebol.

A entidade já anunciou a ex-jogadora Montse Tomé, que fazia parte da antiga comissão técnica, como a nova treinadora. Ela será a primeira mulher a assumir o cargo na seleção feminina.

Vale lembrar que Jorge Vilda não tinha um bom relacionamento com o elenco campeão antes da Copa do Mundo. No ano passado, 15 atletas assinaram um comunicado exigindo a saída do treinador após a eliminação nas quartas de final da Eurocopa. Elas reclamavam dos seus métodos de trabalho e falavam de problemas de relacionamento com algumas atletas. O ex-técnico, inclusive, foi acusado de assédio moral. Mesmo com o ambiente conturbado e com desfalques de grandes jogadoras, a Espanha conseguiu chegar até a final e conquistar o inédito título mundial.

Outro fator a se destacar é que Luis Rubiales, presidente da federação espanhola que foi suspenso provisoriamente pela Fifa, era um dos que apoiavam o trabalho de Vilda. Com seu afastamento, a nova direção optou pela saída do treinador.

Leo Santos
2461 artigos
Leonardo Santos é jornalista esportivo com passagens por grandes jornais do Brasil como Lance e Grupo Globo. Escreve para o Apostagolos desde 2021.