18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Shakhtar solicita retorno imediato do zagueiro Vitão, cedido ao Internacional

Shakhtar quer o retorno do zagueiro brasileiro Vitão
Shakhtar quer o retorno do zagueiro brasileiro Vitão. Foto: IMAGO / Shutterstock

O Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, solicitou o retorno imediato do zagueiro Vitão, que defende atualmente o Internacional. Na visão do clube ucraniano, a suspensão do contrato do jogador a partir do dia 30 de junho aconteceu de forma ilegal e, por isso, ameaça recorrer à justiça contra ele e o time gaúcho. Ambas as partes foram notificadas nesta quinta-feira (28). 

Saiba como apostar na Copa do Brasil

Até o momento, o Inter ainda não se manifestou sobre o assunto. O clube do Beira Rio considera que cumpriu todas as regras estabelecida pela Fifa para ter renovado o contrato do zagueiro.  

Vale lembrar que Vitão tinha contrato de empréstimo com o Internacional até junho deste ano. No mesmo dia, o clube anunciou que havia prorrogado o vínculo do zagueiro até junho de 2023, baseado em uma nova normativa da Fifa. A entidade ampliou o direito dos atletas que atuam no futebol russo e ucraniano a suspenderem seus contratos por um ano.  

O Shakhtar entende que a suspensão do contrato de Vitão foi feita de forma ilegal e unilateral, pois o atleta não procurou o clube para tentar chegar a um acordo até 30 de junho, o que seria um pré-requisito para solicitar a suspensão do vínculo. 

De acordo com os ucranianos, o clube tinha negociações avançadas com o Inter para a permanência em definitivo do zagueiro e alega que ele está ausente do trabalho desde o dia 13 de agosto. O Shakhtar ainda ameaça entrar com medidas legais caso o jogador entre em campo por outro clube a partir de 1º de agosto. 

A postura do clube ucraniano não vale apenas para Vitão. O clube também solicitou ao Cruzeiro o retorno de Marquinhos Cipriano, outro atleta que utilizou a normativa da Fifa para suspender seu contrato.  

Não faz muito tempo que o Shakhtar entrou com uma ação na Corte Arbitral do Esporte (CAS) cobrando da Fifa cerca de 50 milhões de euros (R$ 265 milhões) de indenização devido aos prejuízos causados pela normativa estabelecida pela entidade.    

Leo Santos
1025 artigos
Leonardo Santos é jornalista esportivo com passagens por gra ...