18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Pia Sundhage pede para ficar na Seleção Brasileira

FIFA Women s World Cup 2023 France Women v Brazil Women Brazil Coach Pia Sundhage during the FIFA Women s World Cup 2023
Créditos: IMAGO / News Images

Trabalho de treinadora sueca será avaliado pelo presidente da CBF num futuro próximo.

A permanência da técnica Pia Sundhage no comando da Seleção Brasileira feminina segue indefinida. Para os analistas esportivos, a sueca tem que ser demitida depois da eliminação prematura na Copa do Mundo Feminina de 2023.

O contrato da treinadora com a CBF é válido até o meio de 2024, depois da disputa das Olimpíadas de Paris, na França. Os jogos começam dia 26 de julho e vão até 11 de agosto.

De acordo com a reportagem da ESPN, o presidente da entidade, Ednaldo Rodrigues, vai consultar jogadoras importantes da equipe para tomar uma decisão. Entre as pessoas consultadas estarão a atacante Marta – principal jogadora brasileira. Debinha, Bia Zaneratto e Tamires são outras atletas consideradas uma referência dentro do atual elenco da seleção. Só que até o fechamento desta matéria ainda não havia uma data acertada para o encontro entre jogadores e o dirigente.

Pedido da treinadora

Durante o programa Sportv News, da Sportv, canal da televisão fechada, a jornalista e apresentadora Joanna de Assis trouxe uma informação importante. Segundo ela, Pia Sundhage teria feito uma carta e enviado para Ednaldo Rodrigues. Nesta mensagem, a treinadora teria pedido para o mandatário da CBF a sua continuidade no cargo.

Pia foi contratada em 2019 por Rogério Caboclo – ex-presidente afastado por conta de denúncias de abuso sexual e moral. Desde então, a comandante sueca esteve à frente do Brasil em 57 jogos. Neste período foram 34 resultados positivos, dez negativos e 13 igualdades. Estes números geram o desempenho de 67%.

O Brasil foi eliminado nas quartas de final da Olimpíadas de Tóquio, no Japão, em 2021, e campeão invicto da Copa América de 2022.

Copa do Mundo Feminina 2023

As brasileiras fizeram uma campanha bem decepcionante no Mundial da Austrália e da Nova Zelândia.  Elas ficaram no terceiro lugar do Grupo F, com quatro pontos ganhos. Na estreia, a seleção goleou o Panamá por 4 a 0. Depois, perdeu de 2 a 1 para a França. Já na terceira e última rodada da primeira fase, ela empatou sem gols com a Jamaica. O empate dava a vaga para as jamaicanas. Para a formação brazuca, só o triunfo interessava.

Esta campanha de 2023 foi uma das piores da história da competição da FIFA. Anteriormente, somente em 1991 e 1995 que o Brasil não havia ficado pelo meio do caminho, sem passar para as oitavas de final.

Próximos compromissos

Agora, a Seleção Brasileira irá iniciar a sua preparação para os Jogos Olímpicos de Paris. Só que, até o fechamento deste texto, no site da CBF, não tinha nenhuma informação da entidade sobre os próximos jogos da equipe feminina.

Um dos temores dos torcedores do futebol feminino é que a categoria receba menos investimento depois da eliminação na Copa de 2023. Em nota, Ednaldo Rodrigues rechaçou esta possibilidade. Veja um trecho deste comunicado:

” Já antecipo que este resultado em nada irá mudar o propósito da CBF, na minha gestão, de continuar investindo de forma consistente no futebol feminino como um todo. Pelo contrário, vamos intensificar este investimento. A técnica Simone Jatobá está neste momento na Granja Comary com a Seleção Sub-17 e, em dezembro, ela convoca pela segunda vez na história a Seleção  Sub-15. Vamos implementar também, ainda esse ano, durante as férias escolares, o Campeonato Brasileiro Sub-15/17, envolvendo todas as regiões do país. Competição essa que, em um curto prazo, revelará quase 1.500 novas jogadoras.”

Leandro Gaignoux
326 artigos
Graduado em 2013, Leandro é um jornalista apaixonado por esportes. Iniciou sua trajetória profissional na Super Rádio Tupi, do Rio de Janeiro, no Departamento de Esportes, em 2011, ainda como estagiário. Dois anos mais tarde, trabalhou na editoria de Cidade/Geral do Portal Manchete On-line. Desde 2017, atua como redator no fascinante mundo das apostas esportivas. Começou a colaborar para o Apostagolos em 2022.