18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Pela primeira vez, Manchester City desbanca gigantes espanhóis e se torna o clube mais rico do mundo

Manchester City é o clube mais rico do mundo
Manchester City é o clube mais rico do mundo. Foto: IMAGO / Shutterstock

Novo bilionário europeu? Segundo estudo realizado pela consultoria Deloitte, o Manchester City se tornou o clube mais rico do mundo pela primeira vez na história. O “Football Money League”, responsável pela elaboração do ranking referente à temporada 2020/21, apontou o Real Madrid em segundo lugar, seguido por Bayern de Munique (3º), e Barcelona (4º). 

Saiba como apostar na Champions League

Desde a criação do estudo, essa é apenas a quarta vez que houve uma mudança na liderança. Em outras edições, Real Madrid, Manchester United e Barcelona, que chegou à primeira colocação nas últimas edições, haviam ocupado o topo. Ao todo, o ranking reúne os 30 clubes que mais faturaram no futebol mundial, sendo todos eles da Europa.  

Pela primeira vez na liderança do ranking, o Manchester City teve um aumento de 17% em seu faturamento, subindo suas receitas para 644,9 milhões de euros (cerca de R$ 3,54 bilhões). Desde o início da pandemia da Covid-19, nenhum outro clube do planeta teve um faturamento superior ao dos ingleses.  

O estudo ainda mostrou o poder financeiro dos clubes da Premier League, já que dos 20 primeiros colocados, onze são ingleses. Confira abaixo o Top 30 do Football Money League: 

  1. Manchester City (ING) – R$ 3,54 bilhões 
  2. Real Madrid (ESP) – R$ 3,52 bilhões  
  3. Bayern de Munique (ALE) – R$ 3,36 bilhões
  4. Barcelona (ESP) – R$ 3,2 bilhões
  5. Manchester United (ING) – R$ 3,071 bilhões
  6. Paris Saint-Germain (FRA) – R$ 3,061 bilhões
  7. Liverpool (ING) – R$ 3,029 bilhões
  8. Chelsea (ING) – R$ 2,71 bilhões
  9. Juventus (ITA) – R$ 2,38 bilhões
  10. Tottenham (ING) – R$ 2,23 bilhões
  11. Arsenal- (ING) – R$ 2,017 bilhões
  12. Borussia Dortmund (ALE) – R$ 1,85 bilhão
  13. Atlético de Madrid (ESP) – R$ 1,83 bilhão
  14. Inter de Milão (ITA) – R$ 1,82 bilhão
  15. Leicester City (ING) – R$ 1,4 bilhão
  16. West Ham (ING) – R$ 1,21 bilhão
  17. Wolverhampton (ING) – R$ 1,206 bilhão
  18. Everton (ING) – R$ 1,2 bilhão
  19. Zenit (RUS) – R$ 1,16 bilhão
  20. Aston Villa (ING) – R$ 1,14 bilhão
  21. Sevilla (ESP) – R$ 1,097 bilhão
  22. Leeds United (ING) – R$ 1,06 bilhão
  23. Roma (ITA) – R$ 1,047 bilhão
  24. Atalanta (ITA) – R$ 1,032 bilhão
  25. Southampton (ING) – R$ 976,8 milhões
  26. Borussia Mönchengladbach (ALE) – R$ 976,8 milhões
  27. Napoli (ITA) – R$ 960,3 milhões
  28. Newcastle United (ING) – R$ 936,1 milhões
  29. Lazio (ITA) – R$ 899,8 milhões
  30. Milan (ITA) – R$ 886,6 milhões 

É importante observar que o Zenit, da Rússia, é o único dos 30 clubes que não faz parte das cinco principais ligas europeias. Na montagem do ranking, a consultoria fez a análise em cima de três quesitos: bilheteria e ingressos para a temporada, direitos de transmissão e comercial (marketing e patrocínios). 

Leo Santos
551 artigos
Leonardo Santos é jornalista esportivo com passagens por gra ...