18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Palmeiras é informado que negócio entre Borja e River Plate não será concretizado

Borja, por enquanto, seguirá no Junior Barranquilla
Borja, por enquanto, seguirá no Junior Barranquilla. Foto: IMAGO / MB Media Solutions

Melou! A negociação entre Junior Barranquilla e River Plate pelo atacante Borja não vai mais acontecer. Isso porque a Argentina vive um momento de crise econômica, e com isso, o River não conseguiu apresentar as garantias econômicas necessárias para concluir a transação com o time colombiano.

Saiba como apostar na Libertadores

O Palmeiras tinha interesse na negociação, já que ficaria com a metade dos 7 milhões de dólares (cerca de R$ 37,7 milhões) que o River iria desembolsar pelo atacante. No fim da tarde de terça-feira, o Verdão foi informado que o negócio não acontecerá, pelo menos neste momento.  

Após alguns dias de negociação, todas as partes (Palmeiras, Junior Barranquilla, River Plate e Borja) tinham chegado a um acordo. Mas, o negócio começou a desandar quando o Banco Central da Argentina anunciou medidas para controlar a crise econômica enfrentada pelo país. Dentre elas, a paralisação da venda de dólares no câmbio oficial.  

De acordo com o jornal “Clarín”, o River Plate teria os 195 milhões de pesos argentinos destinados ao pagamento de 1,5 milhão de dólares (R$ 8 milhões), que seriam referentes à primeira parcela da transferência junto ao Junior Barranquilla. Com a nova medida imposta pelo governo, o valor saltaria para 408 milhões de pesos.  

Mesmo se as partes estivessem dispostas a concluir a negociação com o dólar MEP, existe um trâmite burocrático que obriga a compra inicial de pesos somente após 24 horas de vender por dólares.  

Diante deste cenário duvidoso, o clube colombiano preferiu interromper as negociações, mesmo com Borja já se despedindo dos companheiros de time.  

O Palmeiras estava interessado na transação, mas ficou de mãos atadas diante deste cenário. O clube entende que receberia um valor satisfatório pelo negócio, já que ainda é dono de 50% dos direitos econômicos do atacante.  

A não concretização da venda causou uma certa frustração nos dirigentes do Verdão, que contava com o montante para recuperar em torno de 70% do valor investido para a contratação do centroavante junto ao Atlético Nacional, da Colômbia.   

Leo Santos
751 artigos
Leonardo Santos é jornalista esportivo com passagens por gra ...

Artigos mais recentes