18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Meia-atacante Brahim Díaz, do Real Madrid, decide defender a seleção de Marrocos e deixa a Espanha de lado

Brahim Díaz em ação pelo Real Madrid
Brahim Díaz em ação pelo Real Madrid. Foto: IMAGO / Pressinphoto

Espanhol de nascimento, o meia-atacante Brahim Díaz, do Real Madrid, vai defender a seleção de Marrocos, país de sua avó. Ele foi convocado pela primeira vez pela seleção africana nesta semana e desistiu de esperar o chamado da Fúria. Brahim afirmou não ter pressionado a seleção espanhola.

Saiba como apostar em jogos de futebol

– Nunca pressionei para jogar pela Espanha e nunca o farei. Eu falo em campo. O campo é onde se é bom e onde se acumula méritos. Se De La Fuente se referiu a mim, não me sinto atingido. Em nenhum momento pressionei ou exiji ninguém. Não é o meu caso. Não sou esse tipo de pessoa – disse Brahim Díaz, referindo-se a uma declaração de Luis de la Fuente, técnico da seleção espanhola, que afirmou que Brahim Díaz e seu staff fizeram “exigências” pela convocação.

Brahim Díaz foi chamado pelo técnico Walid Regragui para os amistosos contra Angola e Mauritânia, dias 22 e 26 de março, na cidade de Agadir.

O jogador de 24 anos, vale lembrar, defendeu a Espanha na base. Chegou a disputar a Eurocopa Sub-21 em 2021. Ele também foi convocado pela seleção principal em 2021 para os jogos contra Suécia e Grécia, pelas Eliminatórias. Mas não saiu do banco de reservas.

Caso Brahim Díaz tivesse entrado em campo pelas Eliminatórias, não poderia escolher Marrocos. Como não disputou jogos oficiais com a camisa da seleção espanhola, ele ficou livre para defender a seleção africana.

Leo Santos
2434 artigos
Leonardo Santos é jornalista esportivo com passagens por grandes jornais do Brasil como Lance e Grupo Globo. Escreve para o Apostagolos desde 2021.