18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Marinho é apresentado pelo Flamengo e se emociona ao lado do pai

Marinho se emociona ao lado do pai ao ser apresentado pelo Flamengo
Marinho se emociona ao lado do pai ao ser apresentado pelo Flamengo. Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

Novo reforço do Flamengo, o atacante Marinho foi apresentado oficialmente pelo clube nesta segunda-feira, no Ninho do Urubu, e se emocionou. Ao receber a camisa rubro-negra, Marinho chamou o pai, Seu José, rubro-negro de coração, e o presenteou com outra. Os dois se emocionaram. Momento marcante.

Saiba como apostar na Conmebol Libertadores

– Quero agradecer a Deus por estar aqui e receber o convite do meu filho. Não tenho palavras. Parece que a ficha caiu de eu estar aqui. Não dá nem para acreditar. Nunca esperava acontecer isso. Sempre pedi a ele para jogar no time que eu mais amo e chegou o momento – disse seu José.

– Todo jogador quer estar em um grande clube como o Flamengo. Parece que a ficha não caiu ainda. Chego ao hotel e parece que não é verdade, parece que é um dia que vem se repetindo. Sei do peso da camisa e sei do privilégio que é grande. Quero agradecer aos torcedores por tanto carinho desde a chegada – disse Marinho, em seguida.

Marinho, de 31 anos, é o novo camisa 31 do Flamengo. Ele assinou um contrato de dois anos com o Rubro-Negro. O jogador foi comprado por R$ 7 milhões junto ao Santos.

No Peixe, aliás, Marinho viveu o grande momento de sua carreira. Foi o destaque do clube paulista nas duas últimas temporadas. Em 2020 levou o clube à final da Conmebol Libertadores e foi eleito o melhor jogador da competição.

A tendência é que Marinho faça a sua estreia pelo Flamengo nesta quarta-feira, às 19h15, no Raulino de Oliveira, contra o Boavista, pelo Campeonato Carioca. Ele já está regularizado.

Abaixo, mais trechos da entrevista de Marinho

Importância dos pais: “Não tem como eu só falar do meu pai, tenho que falar da minha mãe também. Os dois sempre cuidaram muito disso. Mesmo sem ter condição de jogar no clube da cidade, que tinha que pagar, minha mãe na época não tinha muita condição.

E tem a história do passarinho que eu tinha. Minha mãe me colocou um mês na escolinha falando que era para brincar e depois não teria condição. E eu não tinha chuteira.

Acabei vendendo um passarinho por 50 reais, entrei no clube, passei um mês e o professor Juquinha disse que a partir do mês seguinte não precisava mais pagar, que eu receberia uma bolsa. Foi muito bacana. Só agradecer ao meu pai e minha mãe por todo esforço que fizeram por mim”.

Decisão de jogar pelo Flamengo: “Precisava na minha vida dar um salto maior, assim como novos desafios. Era o que eu mais estava precisando. Chegar a um clube como o Flamengo, com jogadores de Seleção, me faz almejar grandes coisas, buscar o melhor e conquistar títulos”.

Sensação de jogar pelo Flamengo: “É um privilégio muito grande. Às vezes, abrimos mão de algumas coisas, mas o sentimento que está no nosso coração, a felicidade, é muito maior. O que estou sentindo agora é um privilégio muito grande. Eu falo muito, mas estou até sem palavras, só com gratidão pela nação que me abraçou”.

Trabalho do Paulo Sousa: “Cada treinador tem sua forma de trabalhar. O Paulo Sousa é muito inteligente, já percebi nessa chegada. Trabalha muita intensidade no jogo dele. São apenas dois treinos, mas tenho tentado fazer tudo que ele pede. E o treinador sabe a posição que eu gosto de jogar, mas o importante é estar preparado”.

Reis da América juntos: “É uma dor de cabeça que o treinador vai ter que ter, não sou eu. Só vamos ter jogadores qualificados no elenco, jogadores de seleção. O importante é o treinador olhar para o lado e saber que pode contar com nomes de qualidade”.

Brincadeiras do Filipe Luís: “Na verdade, ele até falou: “Agora, você está do lado certo. Não vai dar para ficar correndo atrás de você mais, não”. É um cara que me identifiquei muito, conversei muito na minha chegada e ter esse privilégio de jogar do lado dele, já que ele não gosta de jogar contra. Agora, vamos estar a favor”.

Posicionamento: “Paulo Sousa tem conversado comigo diariamente, me deixado à vontade e pedido algumas coisas. Tenho procurado escutar e aprender. Ele tem me passado umas dicas e fica mais fácil. É bom ter um relacionamento bacana”.

Expectativa pelo primeiro gol no Maracanã: “Quando acertei com o Flamengo, a primeira coisa que me veio na cabeça foi o primeiro gol, de poder fazer homenagem ao meu coroa. Vai ser incrível e já estou mentalizando isso”.

Condição física: “Gosto muito de trabalhar e vejo que o professor gosta de trabalho intenso. A preparação já aconteceu no clube que eu estava, aqui participei um pouco e a cada dia que passa melhoro a parte física. O professor sabe que estou sempre pronto e com o coração pronto para botar em campo”.

Torcida do Flamengo em Penedo (AL): “Se ganhar título, a cidade vai estar fechada. Esqueça! Não entra ninguém. A cidade inteira é flamenguista. Meu pai, então… Eu quase não achei ele, só ia nos vizinhos avisar que eu vinha”.

Leo Santos
865 artigos
Leonardo Santos é jornalista esportivo com passagens por gra ...

Artigos mais recentes