18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Lewis Hamilton e Serena Williams estão na disputa pela compra do Chelsea

Serena Williams e Lewis Hamilton podem comprar o Chelsea
Serena Williams e Lewis Hamilton podem comprar o Chelsea. Foto: IMAGO / Motorsport Images

O piloto de Fórmula 1 Lewis Hamilton e a tenista Serena Williams integram um consórcio que está interessado em comprar o Chelsea, segundo informou o site “Sky News” na última quinta-feira (21). O ex-presidente do Liverpool Martin Broughton lidera o grupo.  Representantes de Hamilton confirmaram que ele faz parte do consórcio liderado por Broughton, que fez a oferta pelo clube inglês. Eles também aproveitaram para dizer que as cifras citadas no relatório não eram verídicas.  

Saiba como apostar da Champions League

Além da ex-número um do mundo de tênis e do multicampeão de Fórmula 1, estão na jogada o presidente da World Athletics, Sebastian Coe, e alguns investidores espalhados pelo mundo. De acordo com a agência de notícias “Reuters”, os integrantes do grupo desejam manter o elevado status do Chelsea. O banco americano Raine Group está supervisionando a venda dos Blues.  

Josh Harris e David Blitzer, donos do Philadelphia 76ers, da NBA, também estão apoiando a oferta liderada por Broughton. Já a tenista Serena Williams é dona do Angel City FC, de Los Angeles, que disputa a Liga Nacional de Futebol Feminino. 

Vale lembrar que o Chelsea foi colocado à venda pelo proprietário Roman Abramovich, antes das sanções serem impostas ao empresário pelo governo britânico por causa da invasão russa à Ucrânia. As ofertas finais para a compra do clube inglês foram apresentadas no início de abril.  

Outro consórcio que está na disputa pela aquisição dos Blues é formado por Todd Boehly, co-proprietário do LA Dodgers, e Steve Pagliuca, co-proprietário do Boston Celtics. Por outro lado, o grupo liderado pela família Ricketts, dona do Chicago Cubs, retirou a proposta de compra.  

Hamilton revela que aquisição do Chelsea seria ‘algo grandioso

Após a descoberta de que é, ao lado de Serena Williams, um dos investidores da proposta de compra do Chelsea, o piloto Lewis Hamilton falou pela primeira vez sobre a situação e pareceu bem empolgado com a possível aquisição do clube inglês.  

– Chelsea é um dos maiores times do mundo. Quando eu ouvi sobre a possibilidade, eu fiquei tipo “wow, isso é uma grande chance de fazer parte de algo grandioso”. Sir Martin conversou comigo no telefone e explicou os objetivos para a equipe caso ele vença a disputa, foi incrivelmente empolgante e completamente alinhado com os meus valores – revelou o piloto. 

Hamilton integra o grupo liderado por Sir Martin Broughton, empresário britânico que já foi presidente da maior companhia área do país e responsável por comandar a venda do Liverpool. Lewis se comprometeu a investir cerca de 10 milhões de libras (R$ 59,6 milhões aproximadamente).  

O heptacampeão mundial de Fórmula 1, como investidor minoritário, não teria voz ativa para dar palpites em decisões referentes ao futebol. Apesar de ser torcedor declarado do Arsenal, o piloto afirmou que não seria um problema comprar um clube rival, mesmo após Max Verstappen brincar com a situação.  

– Sou um fã de futebol desde criança. Joguei no time da escola todo ano na infância e fui a vários jogos. Quando era jovem, eu queria me encaixar e as crianças torciam para diferentes times. Lembro de trocar várias vezes e minha irmã me socou e disse que tinha que torcer para o Arsenal, então virei torcedor. Mas meu tio Terry é fanático pelo Chelsea e eu fui a muitos jogos entre Arsenal e Chelsea com ele. 

As atenções de Hamilton se voltam à disputa do GP da Emilia-Romagna, na Itália, às 10h (de Brasília), deste domingo (24). O britânico é o atual quinto colocado no ranking de pilotos e precisa da vitória para seguir sonhando com o oitavo título mundial.   

Leo Santos
539 artigos
Leonardo Santos é jornalista esportivo com passagens por gra ...