18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Lewandowski avalia jogo com a Argentina: ‘Sacrifício pela equipe valeu a pena’

Lewandowski avalia jogo com a Argentina
Robert Lewandowski na partida contra Argentina Foto: IMAGO / Sven Simon

O atacante Robert Lewandowski jogou de maneira diferente nesta quarta-feira quando a Polônia enfrentou a Argentina pela Copa do Mundo do Catar. Ele desempenhou uma função de atacante e zagueiro.

Em entrevista ao goal.pl após o jogo e à classificação da Polônia para as oitavas de final, Lewandowski disse que o pelo time valeu a pena. A Polônia perdeu da Argentina por 2×0, e enfrenta a França no domingo, dia 4, ao meio-dia.

Foi um jogo difícil para a Polônia, mas também um jogo difícil para você. Você não teve realmente a chance de jogar futebol, apenas de correr.

Hoje fui o primeiro zagueiro, mas você sabe – quando você joga pela seleção polonesa, não se pode esperar muitas chances de gol. Temos que trabalhar como uma equipe. E eu estou me adaptando a isso. Especialmente em um jogo como contra a Argentina. Não importa que eles tenham perdido o primeiro jogo, porque sabíamos que eles iriam melhorar cada vez melhor a cada jogo que jogassem. Não queríamos abrir muito o jogo e finalmente atingimos nosso objetivo.

Você acredita que será diferente na França?

Este é outro grande desafio para nós. Só temos que ir lá fora e lutar. E temos que jogar melhor do que hoje. Hoje estamos felizes porque nos qualificamos. Estamos felizes porque conseguimos pontos suficientes nos dois jogos anteriores que, apesar de termos perdido contra a Argentina, nos classificamos para a próxima rodada. Apreciamos isso e contra a França não teremos nada a perder.

A palavra “feliz” veio à tona. Do desempenho de hoje também?

Claro que não. Não podemos estar. Primeiro de tudo, não conseguimos manter a bola no meio do campo. Também tomamos um gol muito cedo após o intervalo. Tomamos um gol pouco depois de mudar de lado e não quero dizer que nos quebrou, mas nos tirou do nosso ritmo. Nosso estilo precisa ser melhorado. Primeiro de tudo, se quisermos criar algumas situações, temos que jogar com mais ousadia. Não podemos nos assustar com a bola. Hoje, meu jogo estava mais na posição de meio-campista. Mas eu sei que o sacrifício pela equipe valeu a pena.

45 segundos para o segundo tempo e você sofreu um gol. Parecia que lhe faltava concentração, o que não era o caso durante esta Copa do Mundo até agora?

Você está certo sobre isso. Aconteceu muito rápido, também com o segundo gol. Parecia que os gols que concedemos nos faziam esperar que a Argentina criasse mais chances. Isto não deveria ter acontecido. Entretanto, também mostra o que deu errado e no que precisamos trabalhar. Vou continuar repetindo: temos que jogar com mais risco. Se mostrarmos coragem, mesmo grandes equipes podem ter problemas para nos impedir.

Vimos que você disse algo a Wojtek (Szczęsny) antes do pênalti. O que foi?

Nada realmente. Nada de mais. Na verdade, não importa. Acho que Wojtek sentiu que depois de uma penalidade tão branda, dado que ele só tem que salvá-la. Palmas para ele por salvar dois pênaltis na Copa do Mundo. Ele é definitivamente o goleiro do torneio. Se tivéssemos avançado mais, ele provavelmente teria uma chance de estar nos melhores da Copa do Mundo.

Esta é a primeira vez em sua vida quando uma partida termina e você ouve nervosamente o que está acontecendo em outra?

Sim. E pela primeira vez em minha carreira, senti que poderia ser feliz após uma derrota. É claro, não pelo nosso desempenho, mas em geral, pelo nosso resultado no grupo.

Diana Figueiredo
201 artigos
Diana Figueiredo é jornalista há mais de 15 anos, carioca e, atualmente, mora em Paris, na França Trabalhou no Jornal Extra e no Jornal O Globo de ...

Artigos mais recentes

Corinthians vence o São Paulo, no Morumbi, e acaba com jejum de seis anos

Botafogo empresta Jeffinho ao Lyon, time de Textor na França

Neymar deve ser eleito o melhor jogador do ano pela Fifa, afirma ídolo do Manchester United