18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Flamengo perde para o Grêmio por 1 a 0, no Maracanã, pelo Brasileirão

Gabigol em ação pelo Flamengo
Gabigol em ação pelo Flamengo. Foto: Marcelo Cortes / CRF
Crédito: Marcelo Cortes / Flamengo

Com uma atuação bem abaixo do esperado, o Flamengo foi derrotado pelo Grêmio por 1 a 0, na noite deste domingo, (19-09), no Maracanã, em jogo válido pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. O atacante colombiano Borja, de cabeça, marcou o único gol da partida. Foi o terceiro jogo entre as duas equipes na temporada. Nos dois anteriores, pelas quartas de final da Copa do Brasil, o Rubro-Negro saiu vencedor (4 a 0 e 2 a 0).

Saiba como apostar no Brasileirão

Com a derrota, o Flamengo se vê ainda mais distante da liderança do Brasileirão. O Mais Querido é o terceiro colocado com 34 pontos, 11 atrás do líder, Atlético-MG. Vale lembrar que o Flamengo tem dois jogos a menos. Então, essa diferença pode cair para cinco pontos. De qualquer forma, trata-se de uma vantagem considerável do Galo. O Palmeiras, segundo colocado, tem 38 pontos e também dois jogos a mais do que o Flamengo.

Sobre o jogo deste domingo, foi talvez a pior atuação do Flamengo desde a chegada do técnico Renato Gaúcho. Pior até do que a derrota para o Internacional por 4 a 0, no Maracanã. Pouquíssimo inspirado, o Rubro-Negro pouco criou. Os goleiros do Grêmio (Gabriel Chapecó e Brenno, que entrou após a lesão do titular) pouco trabalharam.

No primeiro tempo, o Flamengo teve apenas duas boas chances, com Everton Ribeiro e Léo Pereira. Na primeira, Everton Ribeiro dominou livre na entrada da área, mas finalizou muito forte, por cima do gol. Na segunda, Léo Pereira cabeceou e Gabriel Chapecó espalmou para o lado. O Grêmio, fechadinho lá atrás, também chegou pouco. Em uma de suas únicas chegadas na primeira etapa, Borja marcou após cruzamento na área. Renê e Léo Pereira falharam na marcação.

No segundo tempo, o Flamengo não teve uma boa chance sequer. O Grêmio teve uma, com Borja. Já nos acréscimos, Léo Pereira colocou a mão na bola dentro da área e o árbitro marcou pênalti após analisar no VAR. Borja foi para a cobrança e o goleiro Diego Alves, do Flamengo, defendeu brilhantemente. Mas ficou nisso: 1 a 0 para o Tricolor Gaúcho, que segue na luta contra o rebaixamento. Agora são 22 pontos, apenas um atrás do Juventude, primeiro time fora da zona. O Tricolor, no entanto, tem dois jogos a menos.

O Flamengo volta a campo na quarta-feira para enfrentar o Barcelona (EQU), no Maracanã, no jogo de ida das semifinais da Conmebol Libertadores. O Grêmio volta a campo no dia 26 para enfrentar o Athletico-PR, pelo Brasileiro.

Entrevista do técnico Renato Gaúcho, do Flamengo, após o jogo

Como explicar a derrota?“Isso tudo por causa de uma derrota? A cada três dias, temos uma decisão. Quando ganhamos, tudo bem, quando perdemos está tudo errado? A nossa marcação continua alta. Tem horas que o adversário consegue fugir.

A gente treina marcação alta, mas o adversário também tem qualidade. Não vamos pressionar todo e ganhar todas as bolas do adversário. Quando ele escapa, é óbvio que tem que baixar as linhas. É difícil explicar tudo, mas a ordem, a gente treina, a nossa marcação é alta. Uma ou outra o adversário vai escapar”.

Entrega do time“É o segundo jogo sob meu comando que não fizemos gols. Estamos nessa pegada forte, sempre com equipe diferente, não é nada fácil. Mas não faltou luta. Todo mundo se entregou. Já havia falado na preleção que seria muito difícil, até pela situação do Grêmio no campeonato. Foi o que aconteceu. O Grêmio lutou bastante e foi mais feliz, fazendo o primeiro gol”.

Copa do Mundo contra o Flamengo“É difícil você agradar todo mundo. Mas vamos lá. Se eu coloco o Thiago Maia para jogar é porque estamos com três volantes. Então, nem sempre vamos conseguir desenvolver todo o futebol que sabemos que meu grupo pode apresentar.

No outro jogo, nós jogamos da mesma forma e conseguimos vencer. Já falei isso para o meu grupo desde o dia que cheguei aqui. Todo adversário vai jogar uma Copa do Mundo contra o Flamengo. Hoje deu para ver isso”.

Substituições não funcionaram “O treinador sempre procura o melhor para a equipe. Estávamos perdendo o jogo, coloquei o Bruno Henrique, empurrei o Gabriel e o Pedro em cima dos zagueiros e deixei o Michael mais um pouco.

O Everton saiu, não gosto de tirar o Everton, é muito inteligente e importante no esquema, mas as pessoas precisam saber: quando o treinador tira um jogador, as pessoas da imprensa não têm acesso às informações.

O Everton não era nem para ter jogado, porque estava com problema na perna. Havia falado que ele poderia jogar 45 minutos e no máximo mais 15, 20 minutos. Era um risco que estávamos correndo. A cada três dias o Flamengo joga uma decisão.

A gente quer ganhar. Ele não estava mal no jogo, mas tenho jogo decisivo na quarta-feira… Temos o problema do Arrascaeta, do Filipe. Perder o Everton num momento desse seria difícil. Por isso que já tinha combinado que ele iria sair, pensando no jogo de quarta-feira”.

Arrasca, Diego, Filipe e David Luiz contra o Barcelona? – “A partir de amanhã começamos a pensar no jogo. Conversar com o departamento médico. Tenho conversado com os jogadores também. Kenedy ainda não está 100% e trouxe para readquirir o jogo.

Amanhã, junto com o DM e os jogadores, conversamos e vamos trocar ideias. O jogo de quarta é muito importante, mas não é o último jogo do ano. Temos que tomar cuidado para não colocar o jogador em campo e perdê-lo por mais cinco, seis jogos. O Flamengo briga por três competições, e a cada três dias temos uma decisão”.

A derrota preocupa?“Nem um pouco. A preocupação que a gente vive a cada jogo. Enfrentamos uma grande equipe, que deu a vida. Quarta, o Barcelona vai dar a vida também. Meu grupo está preparado para isso. Nosso aproveitamento é muito grande. Jogamos para ganhar todos os jogos, mas não vamos ganhar todos. Vai ter desgaste pelos jogos, pelas viagens.

É continuar trabalhando, cuidar bem dos jogadores e descansá-los. Só a gente no dia a dia sabe o que passa. Os jogadores têm sido muito profissionais. Eles têm todo o cuidado, mas são humanos. Chega uma hora que o desgaste é muito grande. Estar em três competições”.

Os resultados da 21ª rodada