18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Flamengo empata com a lanterna Chapecoense e fica mais longe do título brasileiro

Gabigol teve atuação discreta na Arena Condá
Gabigol teve atuação discreta na Arena Condá. Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Em jogo marcado por erros bizarros da arbitragem, o Flamengo apenas empatou com a lanterna Chapecoense em 2 a 2, na noite desta segunda-feira (08/11), na Arena Condá, e se viu ainda mais distante do título brasileiro. O Rubro-Negro chegou a 54 pontos, 11 a menos do que o líder, Atlético-MG. Matheuzinho abriu o placar para o Flamengo, Kaio Nunes marcou duas vezes e virou para a Chape e Michael empatou.

Saiba como apostar no Brasileirão

Como dito anteriormente, o jogo ficou marcado por erros inacreditáveis da arbitragem. E ambos contra o Flamengo. Aos 21 minutos do primeiro primeiro tempo, Gabigol foi derrubado na área pelo goleiro Keiller e o árbitro mandou o jogo seguir.

E não foi chamado pelo VAR para rever o lance. Aos 46 minutos, já com o jogo empatado em 2 a 2, Gabi recebeu belo lançamento de Willian Arão, tirou o goleiro e… o auxiliar levantou a bandeira. E o árbitro parou o jogo quando deveria ter deixado o lance seguir.

Gabigol não estava impedido. Estava atrás do defensor da Chape e atrás da linha do meio de campo. Um dos erros mais bizarros do futebol brasileiro nesta temporada. Para completar a lambança, o árbitro Denis Ribeiro Serafim ainda deu cartão amarelo para Gabigol por reclamação.

Sobre a atuação do Flamengo, não foi uma boa atuação. Longe disso. O time do técnico Renato Gaúcho até criou, mas sofreu demais com o ataque da Chapecoense nos contra-ataques.

Aos 25 minutos, Matheuzinho abriu o placar para o Flamengo com um golaço. Ele passou por três marcadores e bateu cruzado, sem chances para o goleiro. A Chape empatou aos 30 minutos com Kaio Nunes.

Gabriel Batista fez defesa difícil no primeiro lance, a bola passou pela área no segundo lance. No terceiro, Kaio finalizou e Gabriel defendeu a bola dentro do gol. Aos 34, Kaio Nunes, de novo ele, virou pra Chape.

Anderson Leite deu uma caneta em Michael e cruzou. Kaio cabeceou e Gabriel Batista aceitou: 2 a 1. Aos 40 minutos, após belo passe de Gabigol, Michael tirou a defesa da Chape e o goleiro e marcou um belo gol: 2 a 2.

No segundo tempo, o Flamengo ficou com um homem a mais por um bom tempo após a expulsão de Kaio Nunes, mas não conseguiu fazer o seu gol. Gabigol desperdiçou uma chance incrível dentro da área. Keiller fez uma defesaça.

E, por pouco, não foi derrotado. As substituições de Renato Gaúcho não surtiram efeito e, nos contra-ataques, a Chape assustou e muito o Rubro-Negro. No final do jogo, Everton Ribeiro deu um pisão no adversário e também foi expulso. Ficou nisso: 2 a 2 e Flamengo praticamente fora da briga pelo título brasileiro.

– Amanhã todo mundo vai falar que o Renato está dando desculpa porque não conseguiu vencer a partida. Concordo que cometemos erros contra uma equipe praticamente rebaixada, mas que sempre teve nosso respeito. Não gosto de falar de arbitragem, mas não dá para não falar mais. Os dois erros que aconteceram foram inacreditáveis – disse Renato Gaúcho.

– Até perguntei se o VAR estava presente. Não é possível o VAR não chamar o árbitro no pênalti do Gabriel. Não sou eu que vou dar aula de regras, mas eu leio, eu vejo, e sei qual o protocolo – acrescentou.

Confira abaixo mais trechos da entrevista do técnico rubro-negro:

Desabafo“Em momento algum, o goleiro procura a bola. É pênalti legítimo e expulsão do goleiro. O VAR que tanto apita os jogos não chamou o árbitro. Depois, o Gabriel está na minha frente, eu vejo que não está impedido, eu grito para ele, que recebe a bola e parte.

Deu o impedimento. Cadê o protocolo que uma criança de cinco anos sabe que tem que deixar a jogada terminar para depois o VAR revisar. Vejo muitos jogos em que o jogador está dez metros na frente, fácil de dar o impedimento, e não dão.

Hoje, na pior das hipóteses seria um impedimento duvidoso, e ela levantou a bandeirinha. É o beabá de uma criança de cinco anos. Mas essas perguntas quem tem que responder sou eu”.

Críticas a Leonardo Gaciba, chefe da comissão de arbitragem da CBF: “Aí, eu pergunto: alguém vai perguntar para o Gaciba? Já que ele fala que o VAR tem 99% de acerto. Alguém está sendo burro, então.

Outra pergunta que gostaria de fazer: jogo do Atlético, Wilton apitou, um dos melhores do Brasil. Jogo do Palmeiras, um dos melhores da América do Sul, o Klaus. Jogo do Flamengo, árbitro da segunda divisão.

O Gaciba tem que explicar isso. Não é possível. Por que nos outros, árbitro Fifa, e no nosso jogo trio de arbitragem da Segunda divisão. Tenho minha culpa, claro que sim. Mas os erros estão aí até quando?”

Cobranças“Eu tenho minha culpa? Lógico que tenho. Ninguém está fugindo disso, ninguém está falando que o Flamengo empatou por conta da arbitragem, mas os erros estão aí. Até quando?

É Campeonato Brasileiro. Não é possível, a gente trabalha, trabalha, trabalha, trabalha… Se o adversário é melhor, mérito. Mas pelos erros o Flamengo deixou dois pontos.

O Gaciba não vai vir a público explicar? Chegou a um momento do jogo em que pensei que não houvesse VAR no jogo. Fui cobrar da arbitragem porque marcou impedimento e a resposta foi “desculpa, errei”.

Segue a vida, o Gaciba não aparece e todo jogo, todo fim de semana, toda rodada tem um problema. Bater no Renato é fácil, é mole. Estou aqui dando a cara para bater. Sou pago para isso. O Gaciba é pago também”.

Escolha por Bruno Viana na zaga titular“Toda vez que foi chamado, jogou bem. Ele está no nível do Gustavo e do Léo, que tem jogado praticamente todos os jogos. Não posso pensar só no momento, tenho que pensar ali na frente. Dia 27, não vou ter o Léo Pereira. Preciso dar ritmo a todos. Tenho que deixar todo mundo pronto e da melhor maneira possível para o dia 27”.

Escolha por Gabriel Batista“O futebol é muito ingrato. Imagina se coloco o Hugo para jogar e ele passa insegurança, né?! O Flamengo tem esse quatro goleiros e vamos com eles até o final. São bons goleiros e nos ajudam bastante. Não acredito que o Gabriel tenha passado insegurança. Inclusive, no gol deles fez grandes defesas”.

Dificuldade contra o lanterna“É lógico que estamos devendo bastante, mas vamos melhorar. Pode ter certeza. Dia 27, é um jogo atípico, um jogo de 90 minutos totalmente diferente. Não adianta eu falar que estamos jogando a cada três dias que vão dizer que é desculpa.

Mas a realidade é essa. O desgaste é muito grande. Não temos tempo para treinar. Mudamos peças porque os jogadores estão esgotados. Dois jogadores nem deviam jogar hoje e estamos arriscando até perder para o dia 27. São várias cabeças aqui pensando no que é melhor, mas o torcedor pode ficar tranquilo que no dia 27 estaremos inteiros para a decisão”.

Os melhores momentos do jogo:

A classificação do Brasileirão:

Os resultados da 30ª rodada do Brasileirão:

Leo Santos
Leonardo Santos é jornalista esportivo com passagens por grandes jornais do Brasil como Lance e Grupo Globo. Escreve para o Apostagolos desde 2021.