18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Fittipaldi: Max Verstappen vai atrás de ‘vingança’ no Japão

Max Verstappen vinha numa sequência de dez vitórias seguidas na Fórmula 1
Até quinto lugar em Cingapura, Max Verstappen vinha de dez vitórias seguidas na Fórmula 1. Crédito: IMAGO / HochZwei

Cingapura proporcionou um final de semana atípico para Max Verstappen. O holandês, bicampeão mundial de Fórmula 1 e líder com folga da atual temporada, viu tudo dar errado no Grande Prêmio: largou apenas em 11º e terminou em um discreto quinto lugar, sempre longe da disputa pelas primeiras colocações.

Cingapura proporcionou um final de semana atípico para Max Verstappen. O holandês, bicampeão mundial de Fórmula 1 e líder com folga da atual temporada, viu tudo dar errado no Grande Prêmio: largou apenas em 11º e terminou em um discreto quinto lugar, sempre longe da disputa pelas primeiras colocações.

Para Emerson Fittipaldi, o desempenho servirá de motivação extra para o Grande Prêmio do Japão, dia 24, em Suzuka. Afinal, a Red Bull havia vencido todas as 14 corridas na temporada. Verstappen, por sua vez, vinha de dez vitórias seguidas em 2023.

– Com certeza Max estará de volta atrás de vingança. Foi muito estranho o que aconteceu com a Red Bull em Cingapura, mas eles voltarão com força total em uma pista convencional como Suzuka – afirmou o bicampeão para o “Apostagolos.com”.

Expectativa para Suzuka

“O Japão é uma pista completamente diferente de Singapura. É bastante rápida e tende a chover durante os treinos, qualificação ou no dia da corrida. Nesta época do ano, o clima no Japão é semelhante ao clima inglês. Se você olhar o que aconteceu com a Red Bull em Cingapura, não acho que isso acontecerá com eles no Japão”.

Momento de Carlos Sainz

“Carlos Sainz está em um modo de alto desempenho. Em Monza, vi Carlos Sainz Sr. e disse a ele como fiquei impressionado com seu filho. Pelas entrevistas, Carlos Sainz parece estar muito focado. Psicologicamente, ele está muito bem preparado. Ele esteve assim em Monza, onde toda a Itália e as expectativas dos tifosi desempenham um papel de pressão. Mentalmente, ele está extremamente bem preparado para a batalha”.

Dificuldades para Charles Leclerc

“Acho que é difícil para Charles ter um companheiro de equipe tão forte. Sainz está muito bem preparado mentalmente. Charles sabe disso e Charles sabe que tem que melhorar. Qualquer atleta desse nível não tem colher de chá. Precisa melhorar. Ele pode fazer isso, é inteligente, tem talento e é capaz de se recuperar. Mas ele precisa entregar mais agora”.

Erro de George Russell em Cingapura

“Foi uma pena que George Russell tenha tocado o lado de fora da curva. Esse é o erro típico do que chamo de fadiga de corrida. É difícil acertar o lado de fora antes de virar para a curva. Houve muito estresse, todos os quatro carros estavam tão próximos um do outro nas últimas três ou quatro voltas e Russell errou por pouco. Eu diria, por uma polegada”.

“Quando eu corria em Mônaco ou em outros circuitos de rua como Long Beach, eu dizia que às vezes pintava meus pneus de branco, por encostar nos muros. Acho que Russell ia pintar os pneus dianteiros de branco, mas foi tinta demais”.

“Lembro-me de conversar com Ayrton Senna em Mônaco. Ele estava liderando muito a corrida e então ‘bum’! Ele bateu. Depois, me disse: ‘Emerson, eu relaxei’. E se você relaxa, bate. Russell foi o oposto. Ele estava sob pressão, lutando e errou por pouco”.

“Humanos sempre vão cometer erros. Russell está sempre muito focado, apesar de estar sob uma pressão tremenda. Acho que Russell está muito confiante agora e muito experiente. Ele definitivamente estará lá em cima”.

Bruno Marinho
42 artigos
Jornalista esportivo com passagens pelas redações do 'Lance', do 'Extra' e do 'Globo', com a cobertura das Copas do Mundo de 2014, 2018 e 2022 no currículo. Apaixonado por esportes e boas histórias.

Artigos mais recentes

Giroud anuncia aposentadoria da seleção francesa após a disputa da Euro

Vasco sonha com o retorno do meia Philippe Coutinho