18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Final da Copa Feminina: 4 craques para ficar de olho

Final da Copa Feminina colocará frente a frente Espanha e Inglaterra
Da esquerda para direita: Abelleira, Hermoso, Bright e Greenwood são destaques da final da Copa Feminina. Crédito: IMAGO / ZUMA Wire e IMAGO / NurPhoto

Espanha e Inglaterra chegaram à final da Copa Feminina com quatro destaques para o fã de futebol ficar de olho na decisão marcada para domingo (20/8). Duas espanholas que brilham no ataque e duas inglesas que fazem um grande Mundial no setor defensivo.

O Apostagolos.com traz perfil das quatro jogadoras que representam perfeitamente bem os estilos das duas seleções. São como água e vinho, mas cada uma ao seu estilo, chegaram à final da Copa Feminina, realizada na Austrália e na Nova Zelândia.

Copa do Mundo Feminina Final: Quem Será a Próxima Campeã do Mundo?

Teresa Abelleira

A meia do Real Madrid tem sido protagonista da campanha espanhola no Mundial. De acordo com a avaliação do site Sofascore, é a melhor jogadora da competição até aqui, com média de pontos 8,27.

Ela tem sido fundamental para o estilo de jogo da Fúria na Copa do Mundo. A equipe é quem mais troca passes na competição, média de 504,3 por jogo. O estilo de controle de bola que marca a escola espanhola de futebol depende de Abelleira e ela tem dado conta do recado.

Aos 23 anos, começou a jogar pelo Deportivo La Coruña e desde 2020 que defende o Real Madrid. Homossexual, recebeu agressões nas redes sociais quando assumiu o namoro com Patricia Curbelo. 

Jenni Hermoso

A criação no meio da Espanha deságua no ataque, onde Jenni Hermoso tem feito a diferença. A atacante de 33 anos é a mais decisiva da seleção até o momento na Copa. Afinal, em seis partidas disputadas, foram nada menos que três gols marcados e duas assistências.

Ela é a camisa 10 da Fúria na Austrália e na Nova Zelândia, mas com a pontaria de uma camisa 9. É a maior goleadora da história de sua seleção e também do Barcelona, clube que ela deixou ao fim da temporada – defenderá o Pachuca, do México, depois da Copa.

Sua efetividade combina com a capacidade de criação da Espanha, na final da Copa Feminina. A equipe chega à decisão com o maior número de finalizações por jogo, são 20 por partida, em média. É a segunda jogadora da Copa mais bem avaliada, com notas de 8,02 em média no site Sofascore.

Millie Bright

Do outro lado da final da Copa Feminina, a Inglaterra entrará em campo com sua fortaleza defensiva. Uma das principais jogadoras da seleção é a zagueira Millie Bright. Ela é a segunda jogadora inglesa mais bem avaliada no Sofascore, com média de pontos de 7,37.

A jogadora do Chelsea foi campeã e titular na Euro 2022. Aos 29 anos, é uma das referência da equipe, ostentando a faixa de capitã da equipe no Mundial. Contra a Austrália, foi a responsável pelo lançamento que ocasionou o segundo gol na vitória por 3 a 1.

Caso conquiste o título, poderá ser considerado a redenção de Millie Bright. Quatro anos atrás, na Copa Feminina da França, ela foi expulsa aos 41 minutos do segundo tempo da semifinal contra os EUA. As americanas acabaram vencendo por 2 a 1.

 Alex Greenwood

Completa o quarteto de destaques das finalistas a lateral-esquerda Alex Greenwood, de 29  anos. Ela defende o Manchester City e fazia parte do grupo que foi campeão da Euro ano passado, contra a Alemanha.

A jogadora é forte nas bolas paradas, responsável por uma assistência e três grandes chances de gols criadas pela Inglaterra no Mundial. É a inglesa com melhor avaliação no Sofascore e a quarta jogadora mais bem avaliada no geral, com nota de 7,97.

Com Alex Greenwood na defesa – ela também pode atuar como zagueira, a seleção inglesa chegou à decisão da Copa do Mundo com a melhor defesa da competição, com apenas três gols sofridos em seis jogos.

Confira entrevista de Milene Domingues ao canal do Apostagolos no Youtube

Bruno Marinho
42 artigos
Jornalista esportivo com passagens pelas redações do 'Lance', do 'Extra' e do 'Globo', com a cobertura das Copas do Mundo de 2014, 2018 e 2022 no currículo. Apaixonado por esportes e boas histórias.

Artigos mais recentes

Giroud anuncia aposentadoria da seleção francesa após a disputa da Euro

Vasco sonha com o retorno do meia Philippe Coutinho