18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Ficar no Manchester City ainda é uma boa opção para Gabriel Jesus, afirma Di Marzio

Gabriel Jesus
Gabriel Jesus deve ser a estrela da janela de transferências. Foto: IMAGO / Offside Sports Photography

Gabriel Jesus promete ser um dos protagonistas da janela de transferências do futebol europeu. Com boa temporada pelo Manchester City e bem cotado para disputar a Copa do Mundo com a seleção brasileira, o atacante já deu sinais claros de que está disponível para uma transferência e deixar os Citzens depois de cinco temporadas e meia.

Pesa para a possibilidade de troca de clube o fato de o Manchester City ter contratado Haaland, atacante norueguês que atuava pelo Borussia Dortmund. Entretanto, a chegada de um concorrente por posição tão forte não deveria ser tão decisivo para Gabriel Jesus definir seu futuro, acredita o jornalista italiano Gianluca Di Marzio.

– Haaland precisará de tempo para entender as táticas ofensivas de Pep Guardiola. Além disso, o técnico adora surpreender os adversários com a formação ofensiva. Ou seja, Gabriel Jesus ainda jogará bastante na próxima temporada, se permanecer no clube – acredita.

Especializado em transferências de jogadores, ele afirma que uma alternativa para o brasileiro é se transferir para o Arsenal, clube londrino que está à procura de um novo atacante, especialmente depois que o francês Lacazette retornou para o Lyon. Últimas notícias do mercado afirmam que os Gunners estão próximos de chegar a uma oferta de 50 milhões de libras pelo jogador (cerca de R$300 milhões). O valor seria suficiente para convencer o City.

– Mas eu entendo se Jesus quiser atuar mais, estar em um clube onde ele seja o atacante mais importante do elenco. Além disso, o Manchester City terá de vender jogadores justamente porque está contratando outros – ressaltou.

No fim das contas, o que deve definir o futuro de Gabriel Jesus é o que ele estabelecer como prioridade para a próxima temporada, tão importante em termos de seleção brasileira. Com disputa acirrada por posições no ataque do técnico Tite, o treinador deve privilegiar, entre outros aspectos, quem estiver vivendo melhor fase pelo clube no momento de fechar a lista final para o Mundial, em novembro.

Para o brasileiro, existiriam então duas opções principais: permanecer no Manchester City, onde o treinador é um fã de seu futebol e ter condições de vencer a Champions, mas ter um pouco menos de minutos em campo, ou abraçar o projeto do Arsenal, onde ele seria um jogador fundamental, mas estaria fora da principal competição de clubes do continente.

– Se eu estivesse no lugar do Gabriel Jesus e tivesse de escolher um lugar para ir, Arsenal seria perfeito porque eles têm um novo projeto e precisam de um atacante como ele. Mas eles não estão na Champions e o Gabriel é um jogador para estar na competição. No fim, eu permaneceria no City. Mesmo com Haaland, ele seguirá jogando. Guardiola o ama.

Outros dois times têm sido colocados no caminho do brasileiro: o Tottenham e o Real Madrid. Em ambos, Gabriel Jesus chegaria com a missão de disputar espaço. Nos Spurs, Son e Kane são intocáveis e a terceira vaga no ataque poderia ser do brasileiro, mas em posição menos próxima da área, aberto no lado direito do setor ofensivo.

O mesmo seria no Real Madrid, onde Gabriel Jesus teria de disputar posição com Rodrygo, seu concorrente também na seleção brasileira, ou então se contentar em ser reserva de Benzema como centroavante.

– Se for para ele ir para o Tottenham, é melhor seguir no Manchester City. O Tottenham tem Kane, Son e outros jogadores importantes para o setor ofensivo. Daria no mesmo – acredita Gianluca Di Marzio, para afirmar em seguida, a respeito do ataque do Real Madrid na próxima temporada:

– Para estar no Real Madrid na próxima temporada, você deve saber que vai começar no banco de reservas 90% das partidas. Quem chegar estará atrás de Benzema por uma, talvez duas temporadas ainda. O Real Madrid não sabe quem contratar por causa disso. E eles ainda precisam decidir o que fazer com jogadores que estão lá, como o Jovic.

Diana Figueiredo
158 artigos
Diana Figueiredo é jornalista há mais de 15 anos, carioca e, atualmente, mora em Paris, na França Trabalhou no Jornal Extra e no Jornal O Globo de ...

Artigos mais recentes