18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Cruzeiro cede empate ao Alianza (COL) após abrir 3 a 0, pela Sul-Americana, torcida se revolta e queima bandeira de Ronaldo Fenômeno

Jogadores do Cruzeiro lamentam tropeço na Sula
Jogadores do Cruzeiro lamentam tropeço na Sula. Foto: Associated Press / Alamy Stock Photo

Crise no Cruzeiro. Na partida desta quinta-feira, válida pela fase de grupos da Sul-Americana, o time chegou a abrir 3 a 0 sobre o Alianza Petrolera (COL), no Mineirão, mas cedeu o empate no segundo tempo e revoltou a torcida. Alguns torcedores queimaram a bandeira de Ronaldo Fenômeno, dono do futebol do clube.

Saiba como apostar em jogos de futebol

Parecia que o Cruzeiro aplicaria uma goleada histórica. Foram três gols (marcados por Lucas Romero, Zé Ivaldo e Matheus Pereira) em apenas 18 minutos. Mas a Raposa não matou o jogo e acabou cedendo o empate no segundo tempo. Batalla, duas vezes, e Figueroa marcaram os gols. Estreia ruim do técnico Fernando Seabra.

O goleiro Rafael Cabral, que falhou em um gol do adversário e foi muito vaiado, pediu desculpas aos torcedores cruzeirenses.

– Foi uma falha técnica. Não é a primeira vez que recebo vaias na carreira. Errei tecnicamente, prejudiquei a equipe e assumo a responsabilidade total disso. Fizemos um excelente primeiro tempo, o objetivo era manter e fazer mais gols. Realmente, a minha falha acabou desestabilizando, não tem nada a ver com as vaias que vinha sofrendo, de coração. Aceito, merecia. Assumo a responsabilidade. É prosseguir, pedir perdão à torcida e, principalmente, aos meus companheiros, porque eles fizeram um grande primeiro tempo, e a minha performance prejudicou o resultado – disse.

Vale lembrar que o Cruzeiro vem de um vice-campeonato mineiro traumático. Perdeu a final para o maior rival, de virada, dentro do Mineirão.

O Cruzeiro é o terceiro colocado do Grupo B da Sul-Americana com apenas dois pontos em dois jogos.

Leo Santos
2545 artigos
Leonardo Santos é jornalista esportivo com passagens por grandes jornais do Brasil como Lance e Grupo Globo. Escreve para o Apostagolos desde 2021.