18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Copa do Brasil: Athletico-PR vence o Flamengo e fará a final com o Atlético-MG

Nikão comemora um dos seus gols pelo Athletico-PR
Nikão comemora um dos seus gols pelo Athletico-PR. Foto: Gustavo Oliveira / Athletico-PR

No duelo de rubro-negros por uma vaga na final da Copa do Brasil, melhor para o Athletico-PR. O Furacão surpreendeu e venceu o Flamengo no Maracanã, na noite desta quarta-feira, no jogo de volta da semifinal, por 3 a 0. Os gols do jogo foram marcados por Nikão (2) e Zé Ivaldo. O Athletico vai decidir a competição nacional com o outro Atlético, o Mineiro, que passou pelo Fortaleza na outra semi.

Saiba como apostar na Copa do Brasil

Foi uma partida em que o Flamengo propôs o jogo, criou muito mais mesmo que de forma desorganizada, mas foi castigado por conta da falta de pontaria. O Athletico soube aproveitar os contra-ataques. Para se ter uma ideia do que foi o jogo: foram 25 finalizações do Flamengo contra apenas quatro do Athletico. Das quatro do Furacão, três entraram.

O primeiro gol athleticano saiu aos 9 minutos do primeiro tempo. Após roubada de bola no meio de campo numa falha bizarra de Diego Ribas, Renato Kayzer foi derrubado por Filipe Luís na área e o árbitro marcou pênalti. Nikão cobrou no cantinho para abrir o placar.

O segundo gol saiu após um contra-ataque espetacular. Aos 52 minutos do primeiro tempo, Nikão recebeu de Renato Kayzer na direita e soltou a bomba. Diego Alves caiu mal e aceitou.

O terceiro gol saiu aos 43 minutos do segundo tempo em mais um contra-ataque de almanaque do Furacão. Zé Ivaldo saiu da defesa, tabelou com Pedro Rocha e tocou na saída de Diego Alves.

Vale destacar a grande partida do goleiro Santos, do Athletico. Foram pelo menos cinco ótimas defesas para garantir o resultado para o Furacão. Não à toa ele já foi convocado algumas vezes para defender a Seleção Brasileira. Inclusive, foi titular na conquista da medalha de ouro em Tóquio.

O Athletico, que não faz um bom Campeonato Brasileiro, dá show nas Copas. O time está nas finais da Copa do Brasil e da Copa Sul-Americana.

O Flamengo, por sua vez, entra em crise. O técnico Renato Gaúcho colocou o seu cargo à disposição após a derrota para o Athletico-PR, mas a diretoria rubro-negra resolveu segurá-lo. Por ora.

Vale frisar que Renato foi xingado pelos torcedores no final do jogo, e ouviu das arquibancadas o nome de Jorge Jesus, o técnico português que fez bastante sucesso no Flamengo.

– Uma coisa super normal no momento que você está trabalhando num clube grande, último treinador que passou aqui e teve sucesso. Torcedor de um grande clube sempre vai lembrar do treinador que venceu, faz parte da nossa profissão. O treinador nem sempre vai ganhar todas, vai lembrar do cara que passou aqui, trabalhou alguns meses e ganhou títulos importantes. Mas já estou vacinado, a cobrança vai sempre existir – comentou Renato.

Gabigol, o grande ídolo da torcida, não teve boa atuação, e também foi cobrado pelos torcedores. Chegou a levar um copo de cerveja na cara na saída do campo. No estacionamento do Maracanã, familiares do jogador discutiram com outros torcedores.

Veja como foi a entrevista de Renato Gaúcho após a eliminação do Flamengo:

Se arrepende de ter falado dos R$ 200 milhões?“O elenco é muito forte, é muito bom. Todo treinador gosta de um elenco desse, faz parte da nossa vida. O próprio Jorge Jesus esteve aqui e perdeu, saiu da Copa do Brasil também. Depois ganhou o Brasileiro e a Libertadores. Nós sempre estamos expostos a cobranças. No futebol, infelizmente quando não consegue o resultado que espera, principalmente se tratando de Flamengo, a cobrança é sempre muito grande”.

Só sobrou a Libertadores? “Nós temos chances no Brasileiro, são remotas. Estamos tristes, chateados pela eliminação. Temos ainda algumas chances no Brasileiro, a partir de amanhã vamos virar a página, pensar no Atlético-MG. Enquanto tiver chances, vamos brigar”.

Como evitar que abale?“É mais uma decisão, é uma decisão a cada três dias. Enquanto tivermos chances no Brasileiro, vamos brigar. O Flamengo está na final da Libertadores no dia 27. Até lá, vamos recuperando nossos jogadores”.

Continuidade do trabalho“Isso é com a diretoria. A gente tem que jogar, tem que melhorar, a gente sabe disso, continuar se dedicando, porque esse time é um time que se dedica, faz treino em casa, treina a mais, sempre quer mais. Então, não é uma derrota que vamos jogar tudo para o alto. Entendemos a torcida, sabemos que é decepcionante”.

Posição do Andreas“Muitas vezes você pega um inimigo de surpresa fazendo algo diferente, foi o que eu tentei fazer colocando o Andreas um pouco mais aberto, com o Bruno mais em cima do zagueiro juntamente com o Gabriel. Foi uma maneira de procurar surpreender o Athletico. Infelizmente, eles foram lá três ou quatro vezes e conseguiram três gols. A bola não quis entrar hoje. Nós saímos de uma competição em que queríamos muito ir para a final. Eu entendo a revolta da torcida, que vai sempre querer ganhar. No momento que um clube como o Flamengo sai de uma competição dessa, o torcedor não fica nada satisfeito”.

Eliminação“Se tem um culpado aqui, esse único culpado sou eu. Responsabilidade toda minha. O grupo não teve culpa de nada. O Athletico foi quatro vezes e conseguiu fazer três gols. O Flamengo criou mais de 20. Um time desorganizado não consegue criar assim”.

Time desorganizado“A responsabilidade é toda minha. O grupo não tem culpa de nada. O Athletico foi lá três ou quatro vezes e conseguiu três gols. Se for ver as oportunidades, o Flamengo teve mais de 20. Uma equipe desorganizada não cria tanto. Infelizmente, para a gente hoje, a bola não quis entrar”.

Cobrança da torcida“Eu já estou bastante vacinado, trabalhei em grandes clubes, sei da cobrança, principalmente em um clube como o Flamengo. Quando você não consegue uma classificação no Maracanã, a cobrança é normal. Amanhã vai estar outro treinador aqui e vai ser cobrado. Nossa vida pé assim, o único culpado é sempre o treinador. E eu vou sempre livrar meu grupo de culpa, eles não têm culpa de nada. Se tem algum culpado aqui, em qualquer sentido, se chama Renato Portaluppi”.

Desgaste físico – “Até agora nós não paramos. Mas se eu falar de desgaste físico, as pessoas vão falar que eu estou dando desculpas. Não tem desculpas. A gente joga uma decisão a cada três dias, os jogadores às vezes estão em boa fase, às vezes em má fase. Acontece. Mas a culpa é toda minha”.

Futuro do Flamengo“Nós temos algumas chances no Brasileiro. Enquanto houver chances, a gente vai brigar. A partir de amanhã vamos pensar no Atlético-MG. Enquanto houver chance, vamos lutar, buscar. No próximo dia 27 temos uma decisão de Libertadores em que somente Flamengo e Palmeiras estão lá. Vamos preparar a equipe para essa final”.

Xingamentos justos?“Sim. São justos. Em um clube grande como o Flamengo, no momento em que você não consegue o resultado que o torcedor quer, a cobrança vem. Eu sou pago para isso, podem esquecer o grupo do Flamengo, o culpado sou eu. A cobrança vai sempre existir, o torcedor é paixão. Eu aprendi com um amigo meu que futebol se resume a uma palavra: vitória. Quando perde, a cobrança é muito grande. Quando vence, todo mundo passa a ser bom, a ser excelente. Faz parte, é uma coisa normal. Quem não souber conviver com isso infelizmente está na profissão errada”.

Atlético-MG vence novamente o Fortaleza e vai à final

Os artilheiros Hulk e Diego Costa balançaram a rede, o Atlético-MG venceu o Fortaleza por 2 a 1, no Castelão, e se classificou para a final da Copa do Brasil. O jogo de ida, vale lembrar, foi vencido pelo Galo por 4 a 0.

Leo Santos
Leonardo Santos é jornalista esportivo com passagens por grandes jornais do Brasil como Lance e Grupo Globo. Escreve para o Apostagolos desde 2021.