18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Confira o abismo financeiro entre Flamengo e Vélez Sarsfield, rivais na Libertadores

Gabigol é a esperança de gols do Flamengo no jogo desta quarta-feira
Gabigol é a esperança de gols do Flamengo no jogo desta quarta-feira. Foto: IMAGO / Fotoarena

Flamengo e Vélez Sarsfield jogam pela semifinal da Libertadores em um confronto que reflete perfeitamente o atual contraste financeiro entre os principais times do Brasil e as equipes mais fortes do restante da América do Sul. As partidas estão marcadas para esta quarta-feira (31), no estádio José Amalfitani, e para o dia 7 de setembro, no Maracanã.

Saiba como apostar na Libertadores

O Apostagolos.com foi atrás dos balanços mais recentes do rubro-negro e do time argentino, referentes a 2021, e revela como a quantidade de dinheiro movimentada pelas equipes é absurdamente diferente, o que ajuda a explicar a atual hegemonia dos brasileiros nas competições continentais.

Apesar de os clubes argentinos não terem o hábito de divulgar seus resultados financeiros, diferentemente do que é praxe entre os clubes brasileiros mais tradicionais, o Vélez presta conta de seus números em seu site oficial. E o que chamou a atenção é como um dos times mais tradicionais da Argentina, com histórico de títulos nacionais e internacionais, é consideravelmente menor que o Flamengo em termos de poderio financeiro.

Flamengo - setembro - 2022
Vélez, do goleiro Hoyos, recebe o Flamengo, do atacante Gabigol, nesta quarta-feira. Fotos: IMAGO / ZUMA Wire e IMAGO / Fotoarena

Dez Vélez dentro de um Flamengo

A receita do El Fortín em 2021 foi simplesmente dez vezes menor do que a do Flamengo. A arrecadação dos argentinos, em peso argentino, foi de aproximadamente 2,3 bilhões. Quando convertido em real, o valor significa cerca de R$93,8 milhões. Já o rubro-negro, de acordo com o balanço da temporada passada, arrecadou simplesmente R$ 1 bilhão.

A desvalorização do peso frente ao real dificulta ainda mais a vida dos argentinos e torna a competição com os brasileiros ainda mais desigual. A moeda vive dias ruins e dificulta os clubes argentinos na busca por jogadores no continente.

Com a moeda fraca, o quadro social de cada um dos times tem impactos diferentes. Ainda assim, a distância entre os clubes é bem menor no quesito. A arrecadação do Flamengo foi superior em 2021, cerca de R$37,8 milhões, contra R$12,8 milhões do Vélez.

O que promove a grande diferença entre a quantidade de dinheiro que cada um arrecadou é principalmente o valor que cada um ganha pela transmissão de seus jogos. Na Argentina, o mercado dos direitos de TV é consideravelmente inferior ao brasileiro. Isso faz com que o Vélez Sarsfield tenha arrecadado cerca de R$15 milhões, contra R$364 milhões do Flamengo.

Flamengo - setembro - 2022
Confira o abismo financeiro entre Flamengo e Vélez Sarsfield, rivais na Libertadores

Davi x Golias no futebol

O principal resultado da diferença na arrecadação é o quanto cada clube consegue investir no futebol, com a formação de elenco e investimentos estruturais. Ambos chegaram à semifinal da Libertadores, mas o quanto cada um gastou para isso é o que faz toda a diferença na hora de dizer quem é o favorito no confronto.

O Flamengo, na temporada passada, teve gastos com o futebol na ordem dos R$701 milhões. Para esse ano, a tendência é que isso tenha se mantido ou até mesmo aumentado, com a contratação milionária de Everton Cebolinha, na casa dos R$81 milhões, e mais a vinda do medalhão chileno Arturo Vidal.

Já o Vélez Sarsfield gastou em 2021 cerca de R$45 milhões com o futebol profissional. Na atual temporada, o grande astro do time é Lucas Pratto, centroavante de 34 anos, com passagens pelo São Paulo e o Atlético-MG no Brasil. A maior contratação foi o volante Santiago Cáseres, contratado por R$15 milhões (ele estava no Villarreal).

As campanhas de Flamengo e Vélez na Libertadores mostram bem as dificuldades vividas por um e outro para chegar à semifinal, em grande parte explicadas pelas condições econômicas completamente diferentes. O rubro-negro acumula nove vitórias e um empate em dez partidas. Foram 26 gols marcados e apenas sete sofridos. Já o time argentino soma cinco vitórias, três empates e duas derrotas, 17 gols a favor e 13 contra.

Diana Figueiredo
155 artigos
Diana Figueiredo é jornalista há mais de 15 anos, carioca e, atualmente, mora em Paris, na França Trabalhou no Jornal Extra e no Jornal O Globo de ...

Artigos mais recentes