18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Com a venda de Borja, Palmeiras recupera mais de 70% do investimento no atacante

Miguel Borja está perto do River Plate
Miguel Borja está perto do River Plate. Foto: IMAGO / MB Media Solutions

Após encaminhar a venda de Miguel Borja ao River Plate, o Palmeiras, segundo informações do site “Globoesporte.com”, fez os cálculos e concluiu que as negociações feitas com o atacante nos últimos dois anos contribuíram para que o clube conseguisse recuperar pelo menos 70% do valor investido em sua contratação junto ao Atlético Nacional, da Colômbia.  

Saiba como apostar na Libertadores

O diretor de futebol Anderson Barros chegou a negociar o colombiano três vezes para amenizar os gastos feitos com a aquisição do atleta em 2017. Na época, Borja se tornou a maior negociação da história do Palmeiras em termos de valores. Como ele não conseguiu se firmar na equipe, foi emprestado para o Grêmio e depois vendido ao Junior Barranquilla, da Colômbia. Agora, o clube também vai lucrar com a venda para o River Plate, da Argentina.  

Em 2017, o Alviverde desembolsou 10,5 milhões de dólares (cerca de R$ 33 milhões na época) para contratar o jogador junto ao Atlético Nacional por 70% dos direitos econômicos. A Crefisa, patrocinadora do clube, fez o aporte financeiro.  

Como havia uma cláusula no contrato, que gerou até discussão na Fifa, o Verdão foi obrigado a adquirir os 30% restantes por mais US$ 3 milhões. O acordo firmado em 2020 previa o pagamento em seis parcelas de US$ 500 mil. A totalidade dos direitos econômicos do colombiano custou em torno de R$ 48 milhões aos cofres do clube.  

Borja chegou ao Palmeiras com o status de artilheiro, mas não conseguiu corresponder em campo. Por isso, o Verdão passou a buscar formas de recuperar parte do valor investido nele. Em dezembro de 2019, foi acertado um primeiro empréstimo sem custos ao Junior Barranquilla, que foi prorrogado até 2021.  

Na ocasião, o clube avaliou que tinha feito uma economia de cerca de R$ 8 milhões apenas em encargos e salários referentes ao jogador.  

De volta ao Verdão, Borja não permaneceu na Academia de Futebol e foi logo emprestado ao Grêmio, que pagou cerca de R$ 6 milhões com uma cláusula de liberação para o exterior caso surgisse uma proposta de venda. A oferta surgiu no término da temporada passada, quando o Junior Barranquilla acenou com a compra de 50% dos direitos econômicos por R$ 15,3 milhões. O time colombiano ainda tem um débito a acertar com o Palmeiras.  

Com a nova venda de Borja ao River Plate, o Alviverde diminui a dívida com a Crefisa para menos de R$ 110,8 milhões. Vale ressaltar que a patrocinadora já realizou outros aportes financeiros nas aquisições de jogadores para o clube.  

Palmeiras pode alcançar marca histórica na Libertadores

O duelo contra o Cerro Porteño, marcado para esta quarta-feira (6), às 19h15, no Allianz Parque, pode ser histórico para o Palmeiras na Libertadores. Isso porque, se avançar para as quartas de final, o clube estará entre os oito melhores times da América do Sul pelo quinto ano seguido, marca que nenhuma equipe brasileira alcançou.  

O Verdão participou das últimas sete edições da competição continental, sendo o atual bicampeão. Após ser eliminado na fase de grupos em 2016 e nas oitavas de final no ano seguinte, o time conseguiu chegar pelo menos até as quartas de final desde 2018. 

Após vencer o Cerro Porteño por 3 a 0 no jogo de ida das oitavas, no Paraguai, o Palmeiras encaminhou a classificação e pode até perder por dois gols de diferença que avança de fase.    

Leo Santos
751 artigos
Leonardo Santos é jornalista esportivo com passagens por gra ...

Artigos mais recentes