18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Brasileiro: Flamengo perde para o Fluminense e pode ver Atlético-MG se distanciar

John Kennedy comemora um dos gols do Fluminense
John Kennedy comemora um dos gols do Fluminense. Foto: Lucas Merçon / Fluminense

A vida do Flamengo se complicou no Campeonato Brasileiro 2021. Na noite deste sábado, a equipe do técnico Renato Gaúcho foi derrotada pelo Fluminense por 3 a 1, no Maracanã, caiu para a terceira colocação e pode ver o Atlético-MG, líder da competição, abrir 13 pontos.

Saiba como apostar na Copa do Brasil

Foi mais uma atuação ruim do Flamengo, a terceira seguida, o que já começa a preocupar a torcida rubro-negra, que xingou o técnico Renato Gaúcho ao fim do clássico no Maraca. Pelo lado do Fluminense, destaque para o jovem atacante John Kennedy, que em seu primeiro Fla-Flu como titular marcou dois gols e deu um trabalho danado para a defesa do Flamengo.

Os outros gols do jogo foram marcados por Renê (Flamengo) e Abel Hernández (Fluminense). Com o resultado, o Fluminense chegou a 39 pontos e é o oitavo colocado do Brasileirão.

O jogo

Em resumo, o Fluminense deu a bola para o Flamengo jogar. Desorganizado e com pouquíssima inspiração, o Rubro-Negro assustou muito pouco. No primeiro tempo somente com Matheuzinho, que acertou o travessão de cabeça, e Vitor Gabriel, que finalizou forte para a defesa de Marcos Felipe.

O Tricolor apostava nos contra-ataques e, em um desses, Marlon cruzou na área, e John Kennedy, nas costas de Renê, cabeceou para a defesa de Diego Alves. O garoto pegou o rebote e colocou na rede.

No segundo tempo, Renato Gaúcho colocou Vitinho no lugar de Diego Ribas. O Flamengo voltou mais aceso, mas continuava sem muita inspiração. Girava a bola, mas não agredia. O Fluminense, mais esperto, ampliou o placar em mais um contra-ataque perfeito.

Luiz Henrique, que também fez ótima partida, dominou na direita, tirou Renê da jogada e cruzou rasteiro. A bola passou embaixo das pernas de Rodrigo Caio e chegou até John Kenedy, que foi mais rápido do que Gustavo Henrique e colocou na rede.

No abafa, o Flamengo diminuiu com Renê, que acertou uma bomba de fora da área. Renato colocou o Rubro-Negro ainda mais no ataque, mas o time seguia de forma desorganizada e o Fluminense decretou o 3 a 1 no fim. Abel Hernández ganhou a jogada de Gustavo Henrique e colocou no ângulo de Diego Alves.

Após o jogo, Renato admitiu que o título brasileiro ficou mais difícil para o Flamengo.

– Satisfeito (início no comando do Flamengo) pelos problemas que a gente vem tendo. Desfalques de jogadores na Seleção, no departamento médico. Mesmo assim, o Flamengo em três competições. Está na final da Libertadores, temos 90 minutos para colocar o clube em outra final na quarta-feira e estamos brigando no Brasileiro. Está cada vez mais difícil, mas qual clube joga e vence as três competições? – afirmou.

O Flamengo, vale lembrar, volta a campo na quarta-feira. O time enfrenta o Athletico-PR, às 21h30, no Maracanã, no jogo de volta da semifinal da Copa do Brasil. O jogo de ida, na Arena da Baixada, foi 2 a 2.

Confira abaixo mais trechos da entrevista de Renato Gaúcho:

Ajustes “Temos coisas para melhorar, para corrigir, mas ninguém leva em consideração os problemas que estamos tendo. A gente sabe o que está passando. A cada três dias, o Flamengo tem obrigação de ganhar para ficar vivo nas competições. E nenhum time no mundo disputa três competições ao mesmo tempo e vence as três, é muito difícil. Quem tudo quer, nada tem”.

Moral baixa para o jogo de quarta?“A gente sabe que a gente precisa melhorar e dar sequência ao trabalho. Quem está aqui sabe o quanto temos trabalhado para buscar os resultados. Respeito opinião, mas não adianta querer tumultuar o nosso ambiente.

Empata duas, perde uma e parece que está tudo errado. Vejo outros clubes disputando apenas uma competição e mal, e ninguém fala. O Flamengo dá ibope. Se eu fosse torcedor, também estaria um pouco insatisfeito. Mas o torcedor entende que estamos em três competições”.

Escolhas na escalação“A única vez que poupei jogador desde que cheguei ao Flamengo foi contra o ABC, depois de ganhar por 6 a 0. Hoje, nós estamos pagando pelo Bruno Henrique, porque deveria ter sido poupado, vinha se queixando muito do adutor.

Colocamos para jogar no meio dessas críticas. Estourou. O Pedro estava com dores muito fortes no joelho. Levamos para jogar contra o Athletico correndo um risco. Jogou 15, 20 minutos e agravou a lesão”.

Escolha por Vitor Gabriel como centroavante“Era o único jogador da posição. Desde que eu cheguei, fez apenas três jogos. Falta ritmo. Não é que fez má partida, mas falta ritmo para o jogador. Vou improvisar tendo um jogador da posição? Ele foi bem em alguns lances, não foi tão bem em outros. Se ele faz aquele gol no primeiro tempo, seria herói.

Já temos o problema do entrosamento. Se mudarmos também a parte tática, teremos dois problemas. Temos o nosso padrão de jogo, que é maneira que nós e os jogadores gostam de jogar. Infelizmente, não é em todos os jogos que estamos no nosso dia. Não adianta mudar toda hora”.

Pedido de apoio“O torcedor é paixão, ele quer ganhar. O torcedor tem que acreditar no que a gente fala, porque é a realidade, estamos aqui dentro. Quando não ganha, é assim. Principalmente no clássico.

Nós também queremos, mas nem sempre é o nosso dia, nem sempre o jogador vai jogar bem. O torcedor tem que vir na quarta-feira para nos apoiar, como sempre fez. Se quiser vaiar, deixa para depois do jogo. Precisamos do torcedor. Eu entendo quem está bravo, porque perdemos um clássico”.

De Arrascaeta sem substituto à altura“Já coloquei o Vitinho ali, já coloquei o Lázaro ali, o Everton e o Andreas na maioria das vezes. Andreas fez um ótimo jogo contra o Juventude, todo mundo gostou. Se eu tiro, iriam questionar. O Arrascaeta joga ali, e qualquer jogador que entre no lugar vão querer que faça o mesmo. A gente tenta, mas nem sempre consegue o nosso objetivo”.

Andreas improvisado?“São características diferentes. Quando o Arrascaeta não joga, a gente precisa improvisar. O Andreas é volante e tem nos ajudado, mas não tem as mesmas características. Não é da noite para o dia.

O Arrascaeta faz falta em qualquer time, é um jogador diferenciado. E não é só o desfalque do Arrascaeta, mas não é desculpa. Jogando uma vez por semana, tem tempo de preparar e treinar a equipe. Desse jeito, a gente mal tem tempo para fazer um trabalho tático. Como vai ter entrosamento?”

Os jogos da 28ª rodada do Brasileiro

Santos 0 x 2 América-MG

Juventude 0 x 0 Ceará

Fluminense 3 x 1 Flamengo

Fortaleza 3 x 0 Athletico-PR

Atlético-MG x Cuiabá – 16h – domingo

Internacional x Corinthians – 16h – domingo

RB Bragantino x São Paulo – 18h15 – domingo

Bahia x Chapecoense – 20h30 – domingo

Atlético-GO x Grêmio – 20h – segunda-feira

Palmeiras x Sport – 21h30 – segunda-feira

Leo Santos
Leonardo Santos é jornalista esportivo com passagens por grandes jornais do Brasil como Lance e Grupo Globo. Escreve para o Apostagolos desde 2021.