18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Árbitras brasileiras comandam Japão x Noruega na Copa do Mundo

Australia v Ireland: Group B - FIFA Women s World Cup Australia & New Zealand 2023 Referees, Edina Alves and Neuza Back line up on the pitch before the FIFA Women s World Cup 2023 between Australia and Ireland at Stadium Australia on July 20, 2023 in Sydney, Australia, Credit:IOIO IMAGES / Avalon Australia, New South Wales, Sydney, Stadium Australia PUBLICATIONxNOTxINxUKxFRAxUSA Copyright: xIOIOxIMAGESx/xAvalonx 0299702797st
Créditos: IMAGO / Avalon.red

Será o terceiro jogo do trio do Brasil na atual edição do torneio da FIFA.

A Copa do Mundo Feminina 2023 chegou ao fim para a Seleção Brasileira, mas continua para o trio de arbitragem. A árbitra Edina Alves e as auxiliares Neuza Back e Leila Cruz foram escaladas para a disputa das oitavas de final. O trio, juntamente com a quarta árbitra mexicana Katia Garcia, vai estar em campo no duelo entre Japão e Noruega.

A bola rola às 5h, horário de Brasília, no Wellington Regional Stadium, na capital da Nova Zelândia. Este importante jogo envolve duas equipes que já foram campeãs do Mundial. As norueguesas foram em 1995, enquanto que o título das japonesas é mais recente, de 2011. Quem vencer o duelo irá encarar o ganhador do clássico Suécia x Estados Unidos nas quartas de final.

Não será a primeira vez nesta Copa que Edina, Neuza e Leila estarão em ação dentro das quatro linhas. O trio marcou presença na vitória de 1 a 0 da Austrália sobre a Irlanda, na rodada 1 do Grupo A. Depois, as juízas comandaram o triunfo do Marrocos, pelo placar de 1 a 0, diante da Coreia do Sul.

No site da CBF, o presidente da Comissão de Arbitragem, Wilson Seneme, comentou a escolha feita pela FIFA.

“Estamos muito orgulhosos da escalação do trio de arbitragem brasileiro para as oitavas de final, comprovando a nossa expectativa de que elas pudessem atingir as fases finais. O jogo reúne duas campeãs mundiais e mostra a confiança da comissão de arbitragem da FIFA no trabalho das árbitras brasileiras. Esperamos realmente que elas tenham um grande rendimento para poder buscar, quem sabe, outros desafios nas fases seguintes.”

Vale ressaltar que a juíza Edina Alves está participando da sua segunda Copa do Mundo. Ela também esteve presente na edição anterior do torneio, em 2019, realizada na França.

Segue a Copa do Mundo Feminina 2023

O Brasil ficou pelo meio do caminho, não se classificando no Grupo F, mas o Mundial continua forte. Para as oitavas de final não faltam grandes jogos entre as 16 seleções classificadas. Os jogos são os seguintes:

  • Suíça x Espanha
  • Holanda x África do Sul
  • Japão x Noruega
  • Suécia x Estados Unidos
  • Austrália x Dinamarca
  • França x Marrocos
  • Inglaterra x Nigéria
  • Colômbia x Jamaica

A Copa está sendo disputada desde o dia 20 de julho e vai até 20 de agosto. A final será realizada no Sydney Football Stadium, na cidade de Sydney, na Austrália.  A bola rola às 7h, no horário de Brasília.

Confira as melhores casasa de aposta para a Copa do Mundo Feminina 2023.

Onde assistir?

No território brasileiro, três canais estão fazendo a transmissão dos jogos da Copa do Mundo Feminina 2023. Na televisão aberta, as partidas são passadas pela Globo, enquanto que a Sportv conta com os duelos na televisão fechada.

Diferentemente dos canais acima, a CazéTV é o único canal que está passando o Mundial na íntegra, com todos os 64 jogos, da abertura até a final. Ele está presente no Youtube e também na Twitch. A transmissão é gratuita.

Leandro Gaignoux
326 artigos
Graduado em 2013, Leandro é um jornalista apaixonado por esportes. Iniciou sua trajetória profissional na Super Rádio Tupi, do Rio de Janeiro, no Departamento de Esportes, em 2011, ainda como estagiário. Dois anos mais tarde, trabalhou na editoria de Cidade/Geral do Portal Manchete On-line. Desde 2017, atua como redator no fascinante mundo das apostas esportivas. Começou a colaborar para o Apostagolos em 2022.

Artigos mais recentes

Cesc Fàbregas assume como técnico do Como, da Itália

Antônio Carlos Zago não é mais o técnico da seleção boliviana