18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

Agora treinador, Euller se inspira em Telê Santana: ‘Gosto do futebol ofensivo’

Euller comemorando gol pela Seleção Brasileira, em 2001
Euller comemorando gol pela Seleção Brasileira, em 2001. Foto: IMAGO / Allstar

O Filho do Vento agora é técnico. Euller, atacante que fez sucesso no futebol brasileiro nos anos 1990 e 2000, está no mercado, à disposição de clubes brasileiros. Traz no currículo o diploma de treinador obtido na Espanha e a experiência à frente de uma pequena equipe na região de Valência. Em entrevista exclusiva ao Apostagolos.com, revela a maior inspiração à beira do gramado: Telê Santana.

Saiba como apostar na Libertadores

O convívio entre professor e aluno foi pequeno, mas marcante: Telê treinou Euller em 1994, no período mais vitorioso da história do São Paulo. Juntos, foram vice-campeões da Libertadores. Os ensinamentos do Mestre Telê marcaram aquele jovem atacante, recém-revelado pelo América-MG. Vinte e oito anos depois, a admiração continua:

– O meu modelo de jogo sempre será ofensivo, pela minha minha escola, a que eu quero propor no futebol brasileiro, que é a do Telê Santana. Que seja um jogo bem jogado e que se vença jogando futebol, fazendo um jogo bonito, tanto para os jogadores, quanto para os que assistem. Mas é óbvio que tudo deve ser analisado com o clube, o que ele deseja – afirmou.

Euller - setembro - 2022
O agora técnico Euller. Foto: Reprodução Instagram

O retorno ao Brasil ocorre depois de quatro anos na Espanha. Lá, conseguiu a graduação máxima da Uefa para treinadores, a Licença Pro, que permite a Euller treinar qualquer equipe do mundo. Acumulou experiência treinando o pequeno Safor Club, uma equipe voltada para a formação de jogadores.

– Foram três temporadas na equipe. Na primeira, fomos campeões. Na segunda, infelizmente tivemos o problema da pandemia na qual todas as competições pararam na Espanha. Apenas a La Liga seguiu funcionando. Na terceira, ficamos apenas um ponto atrás do campeão. Foram três temporadas que me deram muita experiência para colocar em prática tudo aquilo que vinha aprendendo no curso da FIFA.

Antes mergulhado de cabeça na formação na Espanha, Euller começa agora a acompanhar melhor o futebol brasileiro. Ele vinha acompanhando mais atentamente os resultados dos times com os quais é mais identificado dos tempos de jogador, América-MG, Atlético-MG, Palmeiras e Vasco.

Ao defender um estilo ofensivo no futebol brasileiro, acaba reforçando ideias de Fernando Diniz, técnico do Fluminense e principal nome da nova geração de treinadores no país.

– Na Espanha, eu estava sempre propondo o jogo, tanto dentro quanto fora de casa. Eu gosto do esquema 4-3-3, às vezes uso o 4-4-2. Mas quero sempre propor o jogo, independentemente do adversário. Minha ideia é sempre sair com a bola ainda no campo de defesa, chegando até o último terço para que lá os jogadores possam expressar a individualidade.

Como jogador, Euller ficou marcado pela velocidade no ataque, por isso o apelido de “Filho do Vento”. O atacante despontou para o futebol no começo dos anos 1990, pelo América-MG.

A primeira oportunidade em um time grande foi no São Paulo, onde foi campeão da Copa Conmebol e da Recopa Sul-Americana. No Atlético-MG, foi campeão mineiro, e pelo Palmeiras conquistou o principal título da carreira: a Libertadores de 1999. Foi também campeão do Torneio Rio-São Paulo de 2000 pelo alviverde.

Na sequência, defendeu o Vasco e conquistou outros dois títulos importantes: a Copa João Havelange e a Copa Mercosul de 2000. A boa fase pelo cruz-maltino fez com que fosse convocado para a seleção brasileira. Foram seis partidas e três gols com a amarelinha.

Diana Figueiredo
155 artigos
Diana Figueiredo é jornalista há mais de 15 anos, carioca e, atualmente, mora em Paris, na França Trabalhou no Jornal Extra e no Jornal O Globo de ...

Artigos mais recentes