18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial

UFC 275: Mark Madsen critica Do Bronx por não bater peso: ‘Falta de profissionalismo’

Mark Madsen
Mark Madsen critica Do Bronx por não bater peso: ‘Falta de profissionalismo’ Foto: IMAGO / ZUMA Press

Antes do UFC 275, Mark “The Olympian” O. Madsen comentou o evento. O embaixador do “VegasInsider” vê os dois lutadores brasileiros envolvidos nas lutas principais da noite, Taila Santos e Glover Teixeira, com boas chances de terminarem o evento com os cinturões do peso mosca feminino e do meio-pesado masculino.

Suas palavras não foram tão positivas a respeito do ex-campeão dos pesos leves, mesma divisão de Madsen, o brasileiro Charles do Bronx.

Luta entre Glover Teixeira e Jiri Prochazka

“Eu acho que Jiri Prochazka tem feito um ótimo trabalho no UFC. Disputar o cinturão depois de apenas duas lutas é incrível. Quando você enfrenta um lutador com uma diferença de idade tão grande (Teixeira tem 42 anos e Prochazka, 29), você deve usar isso ao seu favor, mas eu acredito que Glover pode compensar isso demais com sua experiência. Acho que o que vai definir a luta é o queixo do Glover. Para ser sincero, ele já foi atingido em outras lutas, mas conseguiu se levantar. Então a questão é: ele consegue se levantar depois de ser acertado por Jiri Prochazka? Será que ele vai conseguir entrar na guarda, derrubá-lo?”, disse Mark Madsen.

Luta entre Valentina Shevchenko e Talia Santos

“Eu acho que essa é a luta mais dura de Valentina, fora Amanda Nunes. Talia é alta, fisicamente forte, dinâmica, boa no Muay Thai, boa no clinche, com boas joelhadas, bom jab, ela tem um bom double leg.

Teremos uma boa luta se a Tália conseguir colocar a Valentina de costas. É uma pequena fraqueza que eu vejo. Então eu vejo uma luta aberta nessas condições”, disse Madsen

Perda do cinturão do Charles Do Bronx por não bater o peso no UFC 274

“Não sei exatamente o que aconteceu, mas vou dizer uma coisa: eu tenho mais de 300 lutas de wrestling no currículo e não deixei de bater o peso uma vez na minha vida. Estamos falando de UFC, de Champions League. Se você é o campeão, não tem como você não bater o peso. Não me importa como, você tem de bater o peso. Então eu acho que foi muita falta de profissionalismo por parte dele. Eu não sei as razões, mas se você está no UFC, tem de ser profissional. Bater o peso é parte de ser campeão”.

Diana Figueiredo
159 artigos
Diana Figueiredo é jornalista há mais de 15 anos, carioca e, atualmente, mora em Paris, na França Trabalhou no Jornal Extra e no Jornal O Globo de ...

Artigos mais recentes